Follow by Email

terça-feira, 31 de julho de 2012

SE AO MENOS OLHASSES PARA MIM!...


















Umas vezes sinto-me
Como uma pobre colina,
Outras como uma montanha
Com cumes de rotina.

Umas vezes sinto-me
Como um cristalizado,
Outras como céu azul...
Porém nublado.

Às vezes sou um manancial
Entre as rochas,
Outras uma árvore
Com as últimas folhas.

Mas hoje sinto-me
Como uma lagoa,
Ancorado sem embarcação...
Uma lagoa verde,
(Da cor dos teus olhos)
Imóvel e paciente,
Na sua meditação...

Estou sereno na esperança      
                                                                          
Que venha uma tarde de bonança

Em que tu  te olhes bem... assim!
E, ao ver-te, olhes para mim!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário