terça-feira, 22 de maio de 2018

NA VIDA...

























Na vida, temos de despir o ser
E levar a alma plo universo,
Sem querer viver com o verbo ter
Porque, por bem, nascemos noutro berço.

Na vida, interrogamos as coisas,
Esperando qu' o vento dê respostas.
Percorremos os caminhos das poisas,
Mas, lá levamos o peso às costas!

Na vida, temos noites, temos dias
E sonhamos a realização.
Às vezes, chegamos aos meios- dias
'Inda reflectimos noutra 'stação...

Na vida, há Primavera, Verão,
Isto, nas memórias da infância!
Mas crescemos... outros dias virão
Que da Natureza, só fragrância!

E, na vida, vivemos sem pensar...
Desce o Outono ao nosso ser!
Caem as horas, sem as observar...
Só agora, aprendemos a ler!...

Modesto

domingo, 20 de maio de 2018

AMAR É DÁDIVA DE SI MESMO

























Amar é dar-se e com alegria,
Sentir o que é belo e tem cor.
Amar é despertar em cada dia
Num mundo colorido de amor.

Enquanto dura e não se resfria,
Amar é ter vida no seu melhor.
É força que s' eleva, se recria...
É grito desvairado sem pavor.

Quem ama com amor, entrega tudo,
Pois é macio como o veludo,
Brilha como chama incandescente.

Quem ama sem amor, nem o sol brilha,
Pois amar é sempre uma partilha:
Assim foi e será eternamente.

Modesto

sábado, 19 de maio de 2018

NASCER DO SOL NA SERRA

























O sol na serra,
Quanta beleza encerra...
É o maior espectáculo da terra!
Apreciar o nascer do sol
E deleitar-se com o arrebol,
Ninguém consegue resistir
Sem deixar uma lágrima cair...
Surge o sol no horizonte,
É inspiração, é fonte
Do belo da Natureza:
Percorre os recortes da serra,
Ilumina montes, vales e regatos,
Embeleza as quedas d' água...
Tira da alma a mágoa!
A luz vai ocupando espaço,
Enlaçando o mundo num abraço
E faz nossa alma deslumbrar
Com o seu refulgente brilhar!
É assim o nascer do sol na serra:
Quanta beleza encerra!

Modesto

quarta-feira, 16 de maio de 2018

O MILHAFRE ENTRE MONTANHAS

























Entre duas montanhas, no azul profundo,
Sulcando espaço, observando a terra,
Vai voando e procurando o seu mundo
O milhafre que vai duma a outra serra.

Na esteira sem fim da tão azul esfera,
Ei-lo embalado na amplidão dos ares,
Vencendo a nuvem que ante si s' erguera,
Fitando o abismo profundo, quais mares!

Voa, eleva-s' em busca do infinito,
Como o despertar de um estranho mito:
Que o milhafre tem humana consciência...

Cheio de luz no cintilar do belo astro,
Deixa ficar na fulgência do seu rasto,
A trajectória d' augusta sapiência.

Modesto

terça-feira, 15 de maio de 2018

MINHA ALDEIA E SEU RIBEIRO




















Aldeia qu'rida, manancial de frescura,
Oh!São tantos os encantos do teu ribeiro!
Desvanece-se minha forte amargura,
Na água corrente contínua... Ligeiro.

Ó belo ribeiro, afago de ternura!
Em ti me diverti, salutar brincadeira.
Como te recordo, na custosa lonjura,
Foste e és fonte da beleza primeira!

Venho visitar-te, com a minha saudade.
Vim ver correr tuas águas em liberdade
E encher de encanto o meu coração!

Aqui venho fixar imagens a preceito,
Encantado com pedras lisas do teu leito
E que são, para mim, terna recordação!

Modesto

domingo, 13 de maio de 2018

DIA DA ASCENSÃO


















Oh! Vai sair o Sol da minha rua!
Estrela da tarde..., deixas-m' a sós!
Intensa Luz qu' era a minha Lua...
Vou sentir saudades da Tua voz!...

Flor que bem cuidaste do meu jardim,
Apuraste bem o meu sentimento!
Rosa de Maio, és tudo pra mim,
Tábua de salvação, meu talento...

Tua Ascensão deixou na minh' alma
Rio de águas mansas, minha calma,
Altar onde meu 'spírito demora.

Olhaste com candura qu' enternece,
Jovial, penetrante... Não s' esquece...
A cada momento, mais se adora!

Modesto

quinta-feira, 10 de maio de 2018

POR ACASO, É UM POEMA




















Sem imaginação
Ando agora!
Atiço a inspiração
Mas ela demora!
Já não sei pensar em algo
Que faça rima...
Só quero acertar no alvo,
Com escrita por cima.
Não acho bom o assunto
Pra organizar um verso,
Mesmo se sei que no mundo
Há mil assuntos diversos...
Mas... que coisa chata:
Não consigo imaginar!
E isso quase me mata,
Pois não consigo pensar...

Mas... esperem um momento:
Mesmo não tendo um tema,
Se às frases 'stou atento,
Afinal... Fiz um poema!

Modesto

NA VIDA...

Na vida, temos de despir o ser E levar a alma plo universo, Sem querer viver com o verbo ter Porque, por bem, n...