segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

AQUI MOROU MEU REI

















Aqui morou um rei quando, menino,
Vestia um castanho algodão.
A pedra da sorte do meu destino
Pulsava junto ao meu coração.

Pra mim, o seu cantar era divino,
Ao som da viola e violão,
Cantava, com voz clara, meu destino:
Tristezas, risos e consolação!

Mas meu pai morreu! Desde esse dia
Eu vi, como cego sem o seu guia,
Que foi para o céu transfigurado!

Sua foto queima - sou sua presa,
Ele m' impele, qual vela acesa,
A cantar a vida em tom sagrado.

Modesto












domingo, 10 de dezembro de 2017

AOS RAIOS DO LUAR















Nos belos raios do luar, floria
Rosa ideal, resplendor d' Halade!
Erravam fluídos de harmonia
Pela etérea, branca claridade.

As fadas imortais da fantasia
Tinham as asas, a serenidade
Para voar na montanha sadia
E galgar, subir à Imensidade!

No espaço, límpidos e velinos,
Os astros eram claros, cristalinos,
Com chamas, vibrações... alto voando!

Nos belos raios do luar, envolto,
Andav' um astro na esfera solto
Com outros sois e estrelas passando!

Modesto

sábado, 9 de dezembro de 2017

SOLITÁRIO, PASSA SEMPRE À MINHA PORTA

















Monólogos sem fim, como rio revolto,
Mas em voz alta e com os lábios duros,
Ruminando as palavras e sempre solto,
Sem consciência, lógica... absurdos!

Memória, à vista, alcançou-o solto
E perpassam episódios pró futuro,
Com mais algum passado vago e revolto,
Num já implacável estribilho de surdo.

E, tudo isto, num refrão atormentado,
Vai à janela ver se vê o esperado...
Dessa janela, apenas vê amplidão.

A sua memória é um descalabro!
- Vai ao postigo: É um portão que te abro
Para encontrares a completa razão.

Modesto

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

IMACULADA RAINHA DE PORTUGAL

























Se eu pudesse compreender
O que há na Vossa imensidão,
Lá no céu se faria acender
A Luz Imaculada Conceição!

Grande dignidade da Virgem Mãe
Da pobreza do género humano,
Condescendência de Deus também...
Traz contos de júbilo neste ano:

Centenário da Aparição,
Quatro séculos da Coroação
Como Padroeira de Portugal!

Minh' alma Te glorifica, Senhor,
Por nos dar a Mãe cheia de Amor...
Mulher alguma Lhe é igual!

Modesto

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

ESPERA OU ADVENTO


















Espera-se por Jesus, no Advento,
Com o coração cheio de fervor.
Escutam-se, trazidos pelo vento,
Cânticos de pedidos ao Senhor.

Esperamos Jesus, neste momento,
Pra não sentir nem tristeza nem dor,
Pois tudo é beleza, sacramento
Da espera do Deus que é Amor.

Aproveitemos o tempo de Luz,
À espera do Menino Jesus:
Ele é das trevas o Vencedor!

Com orações, jejuns e penitência,
Peçamos que nos traga providência...
No Natal, receber o Salvador!

Modesto

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

DE NOITE NA COLINA
















A lua, com seu brilhar,
Cobre as rãs na lagoa,
Passarinhos a sonhar,
Coruja longe ecoa.

Pirilampos a ´scutar
A cantiga que entoa
A brisa que faz voar
Folhas que Deus abençoa.

Paz profunda na colina,
Onde Há água de mina...
O céu pousa no meu chão!

Paraíso de verdade,
Não fosse pura maldade:
Saudades no coração!

Modesto

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

CASA DE BOA FAMÍLIA



















Com bom amor e com bom calor raro,
Uma casa feliz se aprecia.
Pra ela não ficar ao abandono,
Basta-lhe a luz e a harmonia.

S´o sentimento é nobre e claro,
Veste-se de cândida poesia.
É um doce bem o não ser avaro,
Bem celestial que del' irradia.

Um doce bem se derrama em tudo,
Segredo imortal, risonho, mudo,
Que vive debaixo da sua asa,

E nossos olhos ficam rasos d' água
Quando, Sentindo com sadia mágoa,
Vemos seus filhos que são céu da casa

Modesto

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...