segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

POEMA MODERNO




















Sou um apaixonado da palavra
E da estética do lugar.
Expresso os meus pensamentos,
Logo que os meus olhos falam
E os meus sentidos saboreiam.
Sinto os odores da vida,
A beleza da Natureza,
Os amores naufragados,
 Os sonhos junto ao cais...
Passeio pelos campos e montes
Para ver o pôr do sol,
Ou tocar na neblina matinal,
Voar nas nuvens de lã
E, do alto, enxergar o horizonte
Rendilhado com as cores do arco-íris,
Desvelar os segredos dos montes
E tocar com os dedos nas nuvens...
Fazer uma cabana debaixo dos penedos
E esperar a chegada do amor...
Com os olhos penetrar o horizonte
Que me chama para a festa da vida,
Num banquete silvestre
Com pétalas de preciosidade,
Nas núpcias que me apontam o Infinito.
E, assim, a minha pena
Vai pintando páginas
Com sibilinos audaciosos,
Onde as palavras denunciam o meu íntimo
E, cada palavra, é um desnudar exótico,
No meu porto de mar revolto.
Sinto a planície
Como seara que brota,
Com a ajuda das gotas de orvalho,
O germinar do grão dourado...
Tudo isto é poesia actual
E linda!
Só lhe falta a ARTE!
Apenas se saboreia
A epiderme das palavras.

Modesto

domingo, 18 de fevereiro de 2018

PELA AURORA
















Campos fora, campos dentro,
Lá vai correndo ligeiro.
Vai a correr contr' o vento
E eu sou seu companheiro.

Campos dentro, campos fora,
Lá vai singrando ligeiro,
Às cores vivas d' Aurora,
Cruzando campo inteiro.

- Onde vais assim tão cedo,
Rumo ao verd' arvoredo,
Levando meu coração?

- Vou caminhando contigo,
Meus olhos vêem, amigo,
Beleza n' imensidão!

Modesto

sábado, 17 de fevereiro de 2018

O ENCANTO DOS OLHOS














Os olhos azuis são doces,
Os negros são verdadeiros,
Dos castanhos tenho posses,
Os verdes são mais certeiros.

Dos azuis quero o fogo,
Dos pretos quero saber
Se nos castanhos m' afogo...
Nos verdes quero viver.

Nos azuis o céu s' encontra,
Negros são vulcões d' amor,
Castanhos paixão de montra...
Verdes são de mais valor.

Modesto

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

VIVO CANTANDO

























Eu canto, porqu' o agora existe
E a minha vida está completa.
Não estou alegre, também nem triste.
Tenho a aparência de poeta.

Eu sou irmão das coisas fugidias,
Não gosto de gozo nem de tormento.
Atravesso as noites e os dias
Ouvindo zunir, nas folhas, o vento.

Eu canto - a poesia é tudo:
Tem sangue eterno, asa ritmada!
E sei que um dia estarei mudo
E já não haverá canto nem nada!

Modesto

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

















É muita a esperança que me sobra!
Sei qu' a cinza me reduzo, pó domina.
Quand' ouço o toque do sino que dobra,
Ele dá-me força, chama e m' anima.

Jejuei sempre na vida com vontade
De ser vela infunad' ao vent' acesa.
Se morre a chama débil qu' em mim arde,
Só me sobram as cinzas sobre a mesa!

Sou pó da terra e com mal às mãos cheias,
Bem tingido com o sangue destas veias,
Como o sangue que jorra dos martírios.

Sou tão pouco e em cinzas ficarei...
Espalhem-mas pelos rios que cantei,
Ponham-m' uma rosa num ramo de lírios....

Modesto

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

CARNAVAL













Na juventude, veste-s' a folia,
No Carnaval, veste-s' a ilusão...
Passa tão depressa a fantasia
E só ficam cinzas no coração!

Toda a máscara passa depressa
E, em três dias, vai-se a paixão.
Se pensarmos que pró ano regressa,
Vivemos um ano na ilusão.

Hoje, mascarámo-nos pela rua,
A folia da vida continua...
Amanhã, o Carnaval acabou!

E, ouvindo as marchas, eu contemplo
Qu' até o Carnaval serve d' exemplo:
Tudo o qu' era bom, rápido passou!

Modesto










segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

QUE SAUDADE !



















Vem a noite devagar,
Nesta terra d' amargura...
E nem sequer o luar
Ameniz' a vida dura!

Atrás vem acompanhar
A dor cheia de tortura..
Anda tud' a soluçar,
de dia e noite 'scura!

Porque tudo é tão triste?
Porque a noite existe?
E que saudades eu tenho!

Sei dond' a saudade vem:
Recordações, mais ninguém,
Juventude que desenho...

Modesto

POEMA MODERNO

Sou um apaixonado da palavra E da estética do lugar. Expresso os meus pensamentos, Logo que os meus olhos falam E o...