Follow by Email

domingo, 30 de junho de 2013

BELOS OLHOS VERDES


















Gosto da beleza deste teu olhar
Que me faz ver que não há nada mais belo
Que os teu olhos verdes! Fazem-me sonhar...
Um sonho só meu e que eu não revelo.

Os teus olhos verdes são tão tentadores,
Capazes d'ofuscar o brilho do sol!
São do arco-íris essas lindas cores,
Só ultrapassadas pelo arrebol!

Dizem tanta coisa teus olhos risonhos
Que só um enamorado pod' ouvir!
E eu que estou a viver com meus sonhos,
Posso ouvir e, com emoção, sentir.

Eles prometem enlevo e ternura,
Num colo macio, suave calor...
Com uma vida de grande aventura.
Digam-me lá se o amor não tem cor!

Modesto

sexta-feira, 28 de junho de 2013

AS BELAS FLORES SILVESTRES




















Na terra, flores silvestres,
Deus as fez com mui desvelo
Pra que vissem grandes mestres:
O qu'é humild'é mais belo.

Na terra, flores silvestres,
Crescem sem um jardineiro.
São lindas flores campestres
De estilo verdadeiro.

Plantas que Deus quis criar,
Com ar simples e singelo,
Pra melhor nos ensinar
O qu'é humild'é mais belo.

São as florinhas mimosas
Que Deus fez com mui desvelo.
Têm perfume de rosas,
Se tratadas com mais zelo.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

SONHO QUE SE TORNOU SENIL




















Todo o sonho desfeito tem gosto a nada,
Vem, em queda livre, toda a fé abalar.
É olhar frio duma manhã orvalhada,
Silêncio consentido a ecoar.

É um poema dum caso já do passado
Que ficou sem desfecho e não tinha rima.
Tinha o odor das farpas mal curado
E a garganta inflamada não termina.

Parece que nem o tempo a vai curar
Pois continu'a gastar mais qu'o necessário.
Imbuiu-se, de novo, num sonho no ar
Com a corrupção do valor d'outr'anuário.

E... havia um sonho, um sonho real:
Liberdade, Fraternidade, Igualdade!
Só que alguns viram facilidade tal
Que se encheram, 'squecendo a dignidade!

Um dia virá um tempo só de lembranças
Qu'afastará este horrível sonh'infantil.
O pior é que haverá poucas crianças
P'ráprender a história de crise tão vil!

Modesto

terça-feira, 25 de junho de 2013

À SOMBRA DA ÁRVORE
















À sombra duma árvore frondosa,
Sentei-me pra descansar um bocado.
Deixei-me envolver por uma Rosa...
Eram beijos... abraços apertados!

Dormimos abraçados, que saudade!
Sonhamos como era no meu tempo
Que me trouxe tanta felicidade...
É este o momento que contemplo.

Imagens de longe, longa estrada,
Onde rio e margens eram tudo...
Juvenis, juntos, sós, noite calada...
Sonho! Linda mentira, era mudo...

Fiz promessas e construí castelos,
Neles e em ti pus os meus desejos.
Assim me comprazia em anelos
Que me tiravam o sono com beijos!

Modesto


segunda-feira, 24 de junho de 2013

LUA LUMINOSA





















Eu vi-te, luminosa e grande lua!
Nada do que te disse te magoa.
Perdoa-me: chorei lágrima tua
Qu'em ti desliza e em mim ressoa!

Eu vi-te: Tu eras uma beleza!
Por minha causa ou pelo amor,
Eu não quis causar-te nenhuma dor,
Porque te amo, Musa da Pureza!

Mas, ontem, como uma sinfonia,
Eras tão linda, parecias rosa!
Tu escondeste toda a estrela...

Eu gosto de ti por seres tão bela!
Quando te vi, estavas lacrimosa.
Será p'lo sol, ou p'lo nascer do dia?

Modesto

domingo, 23 de junho de 2013

LÁGRIMAS E SAUDADE




















É um grito lamentoso,
Um pedido esperançoso
Pra voltar à Terra Mãe?
Há saborosa lembrança,
Recheada d'esperança
Dum retorno qu'aí vem!

Numa sensação estranha,
Atravesso a montanha...
Afecta-m'a solidão!
É um fenómeno da vida
Lembrar a terra querida
Que trago no coração.

Há momentos de desgosto!
Sinto cair pelo rosto
Uma lágrima a rolar.
Porque no meu pensamento
Não há o frescor do vento
Que encontro ao voltar.

Sentimento que m'invade
E torna triste a saudade
Que não é lamento em vão.
Pois quando à terra vou
A lágrima já lavou
Saudades do coração!

Modesto

sábado, 22 de junho de 2013

A POESIA É BELA


















Carregado com os meus sentimentos
Atrozes, qual grito de muitas vozes.
Minha vida é feita de momentos
Doces, suaves, breves ou velozes.

Escrevo... eternizado me torno.
Deixo no mundo meus versos constantes
Declamados, cantados... os transformo
Em cantos, então, quentes, confortantes.

Poesia: Coisa bela, imprescindível!
Eu direi mais: parece indizível
Mas demonstra todo o meu amor,

Consola a alma se lhe der valor!
Qualquer versejar não é feito em vão
E é bonita quer queiram ou não!

Modesto

quinta-feira, 20 de junho de 2013

VIDA AGITADA



















Contemplo a vida que me ultrapassa,
Vida é o tempo que me escapa,
Nas linhas que o destino me traça:
Vêm raios de sol, mas a nuvem tapa.

Hoje há nuvens nimbus, ventos fortes.
A vida tem compassos de tormenta.
Amanhã será diferente, por sorte.
A vida brada, o dia acalenta.

O dia hoje fechou meus pensamentos.
Amanhã nascerá mais azulado.
Em mim há lágrimas e desalentos,
Como chuva forte e em tornado.

Sofro na vida sem motivação,
Há sempre quem m'admira, me respeita.
Mas há quem me lê com ingratidão...
Meus poemas falam da vida direita!

Modesto

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O TEMPO VAI MUDAR
























Deixa a chuva cair e lavar minhas lágrimas.
Deixa encher minh'alma, afogar meus medos.
Deixa-a derrubar as paredes das mágoas...
Um dia o sol virá com novos enredos.

Silêncio, agora já vejo uma luz.
O qu'é preciso é qu'eu saiba acreditar,
Tenha vontade de levar a minha cruz
E ame a Cristo pra me poder salvar.

O tempo passa enquanto a chuva cai,
No mesmo ritmo o meu pensamento vai
Procurando encontrar-te a todo o instante.

Procuro as emoções, ensejos e sonhos,
Só encontro lágrimas e dias tristonhos
Como esta chuva fria e penetrante.

Modesto

terça-feira, 18 de junho de 2013

MENSAGEM DO PASSARINHO


















Hoje a chuva cai no meu jardim.
Um passarinho alegre lá canta.
A ele tanto faz um dia assim,
Como um dia de sol que encanta.

Pousado num ramo bem folhado,
Lá vai enviando sua mensagem:
Não vale a pena estar incomodado
Porque a chuva rega a paisagem.

Os bolbos estão quietos a dormir,
O verde alegrou a sua cor,
Amarelo com a chuva vai cair...
Brilha no jardim a mais bela flor.

A Natureza é simples e bela.
Chuva e sol enfeitam nossa vida.
À noite não se vê a estrela...
O dia traz amor na despedida.

Modesto

segunda-feira, 17 de junho de 2013

UM NOVO DIA



















Amanhece um novo dia
Um pouco depois de mim.
Olho-o com alegria,
Ansioso pergunt'assim:

Há alegria maior
Que ter juntinho a mim
O corpo do meu amor
E diz a tudo que sim?!

E os dias se repetem,
Há só que selecionar
O que quero com coquete
E do melhor me lembrar.

Então, para despertar,
Acolho-o com amor:
Novo dia vai moldar
O que melhor pra nós for.

E nós, com a noss'argila,
Algo bom vamos fazendo.
Um passeio pela vila...
Novo dia vai crescendo.

Modesto

sexta-feira, 14 de junho de 2013

BOBO CORAÇÃO



















Em jovem lindos sonhos eu teci...
Idílicos devaneios criei,
Gestei fantasias, nelas vivi
E, quando me dei conta, acordei.

Eu tinha um desejo incontido:
Levantar voo, ver outras paisagens,
Recordações dum passado vivido
Difusas num espelho de miragens.

A gente ama para não sofrer,
Momentos adoráveis, fazem doer,
A mente enlouquece, fico insano.

Quanto mais amo, mais gravo no peito
Os momentos bons, é o meu defeito,
Bobo coração, levas-m'ao engano!

Modesto

quarta-feira, 12 de junho de 2013

ALMA QUE BRILHA


















Como é bela e existência humana
Com a alma que brilha inocente e nobre,
Da riqueza do coração ajuda o pobre,
Na essência da vida é soberana!

Pena sermos controlados por gente insana
Que sob um sorriso postiço, encobre
Maquiavélico semblante de um ogre
Com a alma insensível, quase inumana!

No meu sonho de criança, quase inocente,
Eu sempre quis viver em paz, contente,
Viver em liberdade e em paz morrer!

Já que acredito na pureza da alma
E vivo nela com toda a minha calma...
Brilhe esta alma na luz do alvorecer!

Modesto

terça-feira, 11 de junho de 2013

A FLOR E O PÁSSARO


















Voa... voa... Para além do infinito,
Pássaro que sofre e quer esquecer.
Ficaste no jardim qu'achaste bonito,
Mas, no voo, encontrarás mais prazer!

Voa alto! Vai além do horizonte!
Tens a liberdade que te dá o vento.
Voa até à frescura duma fonte
E vai longe como vai o pensamento.

Nas tempestades, procura um abrigo.
Na doença, vem que te curarei,
És livre... mas sempre serás meu amigo,
De ti, amigo, sempre me lembrarei.

Eu sou só uma flor a desabrochar,
Exalo perfume com todo o amor,
Dou-te o meu pólen pra t'alimentar
Na esperança de te tirar a dor.

Modesto

domingo, 9 de junho de 2013

ÁRVORE DE BONS FRUTOS

















Maria deu um fruto doce à humanidade,
E a Lei do Senhor é uma grande bênção:
No lugar do fruto amargo, docilidade,
Pelo Fruto de Maria, a Salvação.

Árvore da vida escolhida no Paraíso,
Dentro da Virgem Maria foi semeada,
E dela nasceu o Divino Bom Juiz...
A humanidade se sentiu saciada.

Sob a Sua Sombra o homem se sentou.
Ela por todos os Seus Frutos espalhou.
E Jesus deu-lhes a vida em abundância.

Árvore da vida que o homem desprezou.
Frutos abundantes que Cristo espalhou.
Na Sua Ressurreição deu-lhes a esperança.

Modesto

sexta-feira, 7 de junho de 2013

MAGIA E AMOR



























Quando se abrem as janelas pela manhã
E se deixa entrar a brisa da felicidade,
Isto é magia.
Quando se cheira uma rosa encarnada
E se sente o perfume do teu beijo em liberdade.
Isto é magia.
Quando os raios escaldantes do sol
Se transformam em fonte refrescada,
Isto é magia.
Quando se mergulha nas gotas da chuva
E se navega pela imensidão,
Isto é magia.
Quando se toca nas cores do por do sol
E se descobre que está perto a escuridão,
Isto é magia.
Quando se vê o brilho do luar,
Os contornos íntimos da tua beleza,
Se sente o desejo ardente no ar
E o calor absorvente da natureza,
O calor penetrante da tua ternura
E os teus beijos têm o perfume da flor...
Isto é AMOR.

Modesto

quinta-feira, 6 de junho de 2013

AGRADECER A VIDA























Ao acordar senti felicidade.
É o momento de agradecer.
Vi que havia na vida verdade,
Nela tudo pode acontecer.

Dei graças a Deus pelo meu viver
E deparei com a realidade:
Na vida, nem tudo é bom de ver,
Anda espalhada muita maldade!

Que maravilha poder reviver
O que Deus criou p'ra satisfazer
A vida, beleza da Criação!

Na vida tudo pode acontecer,
Mas no momento de agradecer,
Mexe bem com a minha emoção!

Modesto

quarta-feira, 5 de junho de 2013

BELA NATUREZA

 
Quando o mar está calmo,
É beleza infinita
E é apenas o vento
Que lhe diz com'em lamento:
És tão lindo assim tão calmo
 Que minha calma assim fica.
 
Olhando o horizonte,
Como é bela a Natureza!
Toda a água é pura,
No rio como na fonte,
Parece olhar com ternura
A floresta em beleza.
 
Vejo o sol a brilhar,
Tudo parece perfeito!
Assim, em qualquer lugar,
Ama-se de qualquer jeito
E nos campos verdejantes
 Da água que sai das fontes,
Mesmo nos montes distantes
E colinas fazem efeito.
 
Colinas d'inspiração,
Para quem 'inda tem tempo,
Nostalgia, solidão...
É profundo o sentimento
Da grandeza duma alma
Qu'ama sem impedimento
A Natureza em calma.
 
Campos cobertos de flores,
Como é bela a Natureza!
Desventuras ou amores
Não lhe alteram a beleza
Nem passa despercebida
Esta enorme riqueza
Que é juventude e vida!
 
Modesto




















terça-feira, 4 de junho de 2013

INDO PELA NATUREZA




















Um passeio em passatempo
Entre as flores silvestres,
Olhar o passar do tempo,
P'los horizontes campestres.

Veio-me uma saudade...
Do que foi já terminado!
Coração fragilidade!...
Tudo teria acabado?

Minha casa solitária
Com flores, naturalmente,
Bucólica, necessária,
Com beleza permanente!

Era tempo especial,
Com borboletas nos campos,
Num passeio matinal,
Inda via pirilampos!

São majestosas as cores,
Como pintor com pincel.
Saboreiam-se os odores...
Em paz, come-se o farnel.

Modesto

segunda-feira, 3 de junho de 2013

BELEZA, BEM, VERDADE




















O meu amor não é idolatria,
Nem é nenhum ídolo quem eu amo.
Todo o meu cantar a ele s'alia
E só de um modo eu o proclamo.

Pois o meu amor sempre foi galante,
Inalterável, com grande excelência!
Daí a minha rima ser constante,
Sempre igual, sem excluir a diferença.

Beleza, Bem, Verdade é o que exprimo.
Nestes valores ponho o acento,
Não há mudança: É nisto que primo.

Um em três temas d'amplo movimento.
Beleza, Bem, Verdade, sós, outrora,
Num mesmo ser vivem juntos, agora!

Modesto