sexta-feira, 30 de março de 2012

A PRIMAVERA INTERIOR
















Posso ser o Outono da vida...
Mas encontrei, no Verão, o amor,
Com uma Primavera bem vivida,
Passei, pelo Inverno, folgador!

Agora, que venham Invernos frios,
Para recongelar minha dor...
Ainda sei lutar pelos meus brios,
Ainda sei of'recer uma flor!

Semeei campos, espalhei perfume
Por jardins que fazem a minha glória!
Tem rosas com espinho? O costume!
São pra ornar melhor minha vitória!

Fiz poemas que vi o vento levar!
Mas 'inda tenho tempo de vencer.
Vou deixar a tempestade passar
E vereis que muita gent'os vai ler!

Na vida, estamos sempr'àprender
E novos caminhos hão-de surgir...
A alma não me deix'envelhecer,
Tenho novas metas pra atingir!

É bom acreditar e esperar
Num amanhã cheio de esperança:
Ao fim da tarde, nasce o luar
E o amanhecer traz confiança!

O Outono tem árvores despidas,
Mas as folhas fertilizam o chão!
O Inverno vem curar as feridas,
A Primavera traz de nov'o pão!

É bel'a Primavera int'rior:
Se o Outono procura a verdade
E a sabedoria de primor...
Primaver' interna não é saudade!

Modesto

quinta-feira, 29 de março de 2012

COM DEUS TUDO É MAIS BELO


Hoje foi um belo amanhecer!
As lágrimas por meus olhos desceram,
Uma beleza de embevecer!
Hoje os pássaros me comoveram!

O raiar do dia fez-se presente:
No horizont' o sol nasceu em festa!
A vida brota e a gente sente...
O verde jardim parece floresta!

Levanto meus olhos para o céu,
Procuro de Deus Sua Morada...
Uma nuvem s'intrepõe, como véu
E do Meu Senhor não vejo nada.

Mas, olhando para a Criação,
Nela me recolho a meditar:
Sei que chego a Vós p'la oração,
Sei que meus erros ireis perdoar.

Deus Omnipresente, Omnipotente,
Obrigado pela luz dos olhos meus!
Na Natureza, Te fazes presente:
Ouço a Palavra e Sinais Teus!

ConTigo, tod'a beleza é maior,
É suavidade e mansidão!
Dás ao sol um belo esplendor
E as sementes germinam no chão!

Sei donde venho e pra onde irei,
Posso falar do que meus olhos vêem!
Os dias que tive os vivenciei,
Com a Verdade que outros não crêem!

Modesto

quarta-feira, 28 de março de 2012

SENTIMENTOS DE UM SONHADOR























Quero ser jardineiro de tua instância
E plantar flores com pétalas de amor
Para guardar, em mim, essa nobre fragrância,
Admirar-te sem deixar de ser sonhador.

Os teus lábios, sorrindo, me enlouquecem,
Ao caminhar, todo o teu corpo estremece,
És a figura que teus olhos embelecem...
És a distracção que meu coração aquece!

Eu, por ti, sentirei sempre admiração!
Quando falas, cativas o meu coração...
Para te premiar , dou-te esta bela flor!

São sentimentos d'alma que te quero dar,
Desprendido de mim, contigo quero 'star...
Não me censures! Deixa-me ser sonhador!

Modesto

terça-feira, 27 de março de 2012

UM DIA EM MONTEDEIRAS

Do alto da Serra de Montedeiras
Vislumbra-s'um magnífico 'splendor,
Vêem-se umas suaves ladeiras
Que inspiram um qualquer escritor.

Vê-se o rio que chega ao mar,
Com as águas a beijar a areia,
A Natureza ´stá a vegetar...
Tem saudades, mas pouco se semeia.

O vento traz-nos o aroma das flores,
Os pássaros esvoaçam em bando,
As libelinhas fazem cortes d'amores...
Com sorrisos, o sol lá vai andando.

Já o dia está a terminar...
Perdemo-nos a ver o horizonte!
É hora de regressarmos ao lar,
Ouvindo o correr da fresca fonte.

O crepúsculo chega formoso
Com um maravilhoso arrebol!
E foi um dia cheio e saudoso,
Maravilhados com o pôr do sol!

Modesto




segunda-feira, 26 de março de 2012

REFLECÇÃO MATINAL
















A brisa da manhã sopra suavemente,
O vento faz das árvores doce balanço,
Um raio de sol aparece refulgente
E eu vou reflectindo em doce descanso.

A gota d'orvalho que refresca a vida,
A erva ondula ao vento sem revolta,
O infinito céu azul cura a ferida
Dum belo sonho de criança que não volta.

A sabedoria ensina a escutar
A Natureza que sabe multiplicar
Os múltiplos e saborosos frutos seus.

Em cada manhã me ponho a admirar
A Luz que vem do alto e faz germinar
As sementes que com grand'amor nos deu Deus.

Modesto

RETOMA A MINHA ALMA


















Aqui tens, Meu Deus, a minha alma nua,
Repousada, embebecida, absorta.
Outrora, impávida, ela era Tua,
Tão humilde, quant'a nobreza comporta.

Agora, 'stá turva, à luz da candeia,
Padece de amargura e está vazia!
Traz a Tua Luz, vem e a clareia,
Volte a ser o pirilampo que luzia!

Quero ter a verdade nua e crua
Da Luz em que a alma se perpetua:
Encandeia-me no fogo do Amor!

Ter laços fortes com outras criaturas,
Aliviar as almas das amarguras,
Ser feliz sob a protecção do Criador!

Modesto

domingo, 25 de março de 2012

PROPOSTA DE VIDA QUARESMAL



A Palavra de Deus ecoa aos ouvidos
A apontar caminhos de salvação
Mas os projectos de Deus não são seguidos,
Como vida vivida na doação.

Deus continua a propôr-nos Aliança,
Para termos o coração transformado,
Capaz de agir, decidir... na 'sperança
De Amor dado pelo Crucificado.

Este caminho passa pelo diálogo,
Descobrindo os desafios propostos:
Obediência ao viver análogo
Ao de Jesus, Maria e dos Apóstolos.

Olhar para Jesus, percorrer Seu caminho
De Amor radical e do dom da vida,
Fazer bem ao irmão, dando-lhe carinho,
Carregar-lh' a Cruz, alivia-lh'a dívida.

Só este é o caminho do Amor,
Só daqui brota a vida verdadeira,
Subir o Calvário com'o Senhor,
Ser ramos vivos, ligados à Videira.

Modesto

sábado, 24 de março de 2012

AH!... BELA POESIA!

Minha bela poesia,
Entra suav'em minh'alma,
Invade-me, m'alivia.
Pois só tu me dás a calma!

Minha mente, num lampejo,
Me torna embriagado!
Tu és fremente desejo!
Poesia, obrigado!



 O céu de luz cintilante
 Traz-me sereno afago
 E uma 'strela brilhante
 É a emoção que trago!

 Abraço-te com carinho,
 M'acompanhas na jornada,
 Contigo vou a caminho
 De te ter idolatrada!

Conheço o teu segredo
E teu sonho, minh'amada!
Mas há momentos com medo
De ficar a valer nada!

Tu levas-m'até à serra,
Pra ver os vales e montes
E levas-m'à minha terra
Beber frescura das fontes!

Já é tempo de voltar
A viver felicidade!
Tu fazes bem me lembrar
O tempo de mocidade! 

Modesto

sexta-feira, 23 de março de 2012

PRIMAVERA

Começou a Primavera,
Abrem-s'as flores em festa
Como se fosse quimera,
O sol já pede a sesta! 

As noites da Primavera
São amenas e são belas! 
A lua é uma esfera
Que sobressai das estrelas.
E já os pássaros cantam
E voam em grandes bandos,
Até a mim me espantam
Os seus gritos de comandos!

Figuras que no ar plantam,
Tornam o céu mais azul.
As andorinhas encantam,
Com a chegada do Sul.
 A Primavera é elo
Do Outono, qu'é igual:
Estações que tornam belo
Este nosso Portugal!


Modesto

quinta-feira, 22 de março de 2012

CANÇÃO DOS PASSARINHOS


















Com esta canção, meu coração vibra,
Faz a minha vida ser emoção!
Marco o compasso desta cantiga,
Tão eterna que romp'a ilusão!

Poucos entendem esta linguagem
Que será sempre meu supremo rei,
Poema que rima com fé, coragem,
Segredo do verso de tod'a lei.

Celebra-se a humana magia
Que tira o sofrimento e o medo,
Ao escutar tão bela sinfonia
Qu'é harmonia e tem enredo.

Sintonia com o nascer do dia,
Faz qu'a vida siga seu andamento.
O Senhor do mundo dá-lhes mestria,
 Afina as vozes a cada momento.

Sejamos como eles p'rum instante,
Escutemos matinas e completas:
O ritmo da vida muda bastante
E vamos limando nossas arestas.

Modesto

PÔR DO SOL























Vais p'lo céu repleto de mil cores,
Jogos de luz em pose imponente,
Forte matiz, igualando as flores
Às quais dás luz, vais dormir no poente.

Grande prodígio, harmonia e arte,
Bola de fogo, tornas-me menino
No alto da montanh'a contemplar-te
Em oração, na visão do Divino!

Quão melancólic'é a despedida!
Teus raios-brilho escondem-se lentos.
Vem a noite turbar a nossa vida,
Tingir acções, emoções, pensamentos.

Os guardiões da noite sombria
Iluminam a fria madrugada...
Pássaros tocam clarim qu'anuncia
Iminente tua nova chegada.

Possa teu cíclico volta e ida
Fazer o mundo perder o seu vício
De esquecer o mistério da vida
E os homens voltem ao seu início!

Modesto

quarta-feira, 21 de março de 2012

JÁ FOI PRIMAVERA























Foi um lindo sonho que já passou,
A Primavera das belas manhãs...
Dás-me um beijo, eu outro te dou:
Recordações das nossas vidas sãs!

Agora é tempo de perceber
Que o nosso amor amante, já era!
Agora, já só nos resta sofrer,
Ao ver qu'o amor 'stá na Primavera.

A dor inevitável das lembranças
Mostra-nos que tudo é passageiro:
A juventude, folias e danças
Passaram: Não deixaram tud'inteiro!

Na Primavera, com as belas flores,
Esquecíamos as folhas d'Outono:
Só víamos caminhos prós amores,
Tínhamos vida, não tínhamos dono.

A Primavera dos nossos amores
Era arca de ilusões etéreas!
Agora, a vida chora com as flores:
Vivemos com cintilações sidéricas!

Resplende, Primavera, teus fulgores,
No c'lorido dos teus dias risonhos!
Tu trouxeste o fel das nossas dores...
Mas deixaste o néctar dos bons sonhos!

Modesto

segunda-feira, 19 de março de 2012

SER PAI

Com'árvore plantada
Junt'às águas refrescantes,
Com folhagem sempr'armada
E frutos muit'abundantes.

Assim, como S. José,
Homem Justo, escolhido
Pra Pai de Jesus, que é...
Mesmo sendo adoptivo.

«O pai é um SER profundo,
Uma luz entr'os escolhos!
É ter dois olhos no mundo,
Que vêem p'los nossos olhos!»(1)

Bons frutos nos oferece
A sua grande bondade!
Com bons conselhos, parece,
Dar-nos a felicidade!

Luta por seus objectivos,
Com fé, amor, esperança...
Mais amigo qu'os amigos,
Porque é perseverança!

É o rei da harmonia:
Impõe honra e respeito,
Propõe regras como guia
De um futuro perfeito!

Modesto

(1) Adaptação de Florbela Espanca

domingo, 18 de março de 2012

UM POEMA PARA VÓS























Eu gosto da poesia!
Sem ela, a cor s'afasta,
A vida fica tão fria
E o coração se devasta,
O tempo fica em nada,
A alma fica sombria...
Perco o fio à meada!

Prá fazer, há que ter calma,
Integrar-se na matéria,
Sentir serena a alma,
Ouvir pulsar a artéria...
Observar bem o espaço,
Voar p'la via etérea
E esquecer o cansaço.

Preciso ter confiança
Que, atenta, tira o medo
E desperta a lembrança
Do sonho que, em segredo,
Tem ânsia que supera
A ideal confiança
D´êxito que sempre s'espera.

Poema que é de graça:
Nada pede mas entrega
O sonho que m'ultrapassa,
O amor que nada nega...
Minh'alma é vossa parte,
Que sob a ponte navega,
Nas calmas águas da arte!

Modesto

VIVER COM SOPHIA

















Vivo na égide da sabedoria,
Nesta terra em que o meu corpo pousa.
Peço que meus sonhos sejam d'alegria,
Num sono de suficiente repouso.

Quero renovar a minha alma ardente
E viver na terra entre os meus iguais
E que Atena me dê vida decente,
Pra dar descanso e paz aos demais.

Quero viver em paz num agir prudente.
Para descanso, só quero um momento,
Pra beber no rio do esquecimento.

Meu amor real é sólido e ardente.
Amo todos com ardor e segurança.
Vou viver cá na terra com temperança.

Modesto

sábado, 17 de março de 2012

POEMA PSEUDO SATÍRICO























Perco-me dentro do tempo,
Meus versos deixo viajar.
Com eles, a poucos contento...
Mas eu gosto de versejar.

Sei bem e vou reconhecendo
Que muitos caem no deserto...
'Inda há gente que vai lendo,
Mas seu futuro é incerto.

Não canto amor esfarrapado
Nem desejos indefinidos.
Meus versos falam do sagrado...
Não vão com alguns indivíduos!

Há poetas na nossa praça
Com óptima prosa poética
Sem rima, métrica... com graça!
Mas muitos não têm estética.

Poesia é uma arte
E ninguém faz arte sem regra.
Se a regra fica de parte,
No poema não se integra!

Será que perdid'andarei
Sem ser desta sociedade...
Hoje em dia, eu bem o sei:
O que conta é liberdade!

Mas a liberdade não é
Fazer tudo o que se quer:
Libertinagem também é
Vida sem esforço qualquer!

Modesto

AMAR É DOAR-SE














O amor é doação
Sem nad'em troc'exigir,
É decisão de perdão,
Na verdade, não fingir.
É sonhar, ter esperança,
É viver como criança.

É correr sempre e lutar
Pra com esforço vencer
E com honra carregar
O peso do outro ser,
Mesmo com dificuldade,
Doar generosidade.

É suavizar a dor,
Saber dar um bom conselho:
Na prática do amor,
Não há novo, nem há velho,
É o dar-se tod'inteiro
E nisso ser o primeiro.

Amar não é só um dia:
É um'acção permanente!
Se quer viver n'alegria,
Tenha um coração quente!
Amar, doação constante
E coração transbordante.

Modesto

VIVER EM DOAÇÃO

Eu quero doar a vida,
Estou morrendo de amor,
A morte é despedida
Do sofrimento, da dor.

Vivi num sonho ferido,
Dele me quero curar.
Não gosto d'andar perdido,
Procuro-me encontrar.

Vivo dentro dum navio,
Sei que não vai naufragar.
Sorrindo tiro do frio
Os que caíram ao mar.

Tudo depende de mim,
Sei isto desd'o começo:
Velhinhos chegam ao fim,
Dou-lhes amor, nada peço.

Pobres, porque chorais?
Vede: A vid'é feliz!
Por pouco que vós tenhais,
Dar-me a vós sempre quis.

Modesto

quarta-feira, 14 de março de 2012

CUPIDO JÁ NÃO SEGURA O AMOR


















Cupido, representas a magia
Que se choca com a linha do tempo,
Armazenas em ti só sinfonia
Ao lançar a seta e movimento.

Impregnas cores do arco-íris
Em sinal de amor-eternidade,
Mas vê: os olhares das nossas íris
São, às vezes, brindes da saudade!

Cupido, Quando queres ,tens poder
Do sol, da lua e das estações...
Em noites prateadas, podes crer
Que despedaças muitos corações.

Abrasas-nos com o teu arco tenso,
Lanças setas certas ao coração.
Mas o amor que dás não é intenso:
Parte-se na primeira discussão!

Então, que podemos de ti 'sperar?
Suspiros e cores da saudade?
Hoje em dia, nem consegues casar
Corações que têm felicidade!

Modesto

terça-feira, 13 de março de 2012

CUPIDO - O ESPIA


















Na serra de Montedeiras, avisto, com surpresa,
Estranha floresita, num velho tronco adusto.
Atrai-me a sua meiga e rústica beleza!
Aproximo-me dela e colho-a com mui custo.

Reparo: Não é qualquer flor, mas uma turquesa
De raios irisados, com um rostinho astuto!
Perfeição sonhada ou ideal da Natureza?
Fico a admirá-la... apanho um grande susto:

Uma pétala mexe e fala em língua morta:
- Não sou flor azul, sou personagem desconhecida,
Sou Cupido a ver como tua vida se porta.

Fico sentido e com a imagem na lembrança...
- Tenho vivido um amor fiel durante a vida!
E... Sem dar resposta, para as nuvens se lança!

Modesto

segunda-feira, 12 de março de 2012

A VIDA NA ALDEIA


















A vida na aldeia é serena e bela,
Respira-s'ar puro nas matas verdejantes,
Sinfonias e cores sentem-s'à janela,
Pássaros e flores deixam-nos 'xtasiantes.

Águas puras, cristalinas a fluir
Das fontes, dos córregos, até dos ribeiros
Matam a sede... ao banho apetece ir,
Ou então, namora-se com as lavadeiras.

Sob um brilhante sol, caleja-se a mão,
Guarda-se o gado... há muito a consertar.
À noite, os vizinhos vão fazer serão!

Luta-se e labuta-se a tod'a hora,
Mas a vida é bela, vive-s'a cantar.
Já lá vivi, quero voltar: Vamos embora?!

Modesto

VIVER NO CAMPO















Vida na campo, dádiva da Natureza,
Com as suas infinitas tonalidades,
Matizes verdes espalhando beleza...
É um mergulho nas suas vivacidades.

O cheiro da terra regada no Verão,
O ribeiro manso que segue seu percurso,
Frutos coloridos que se colhem à mão,
Tudo é um bom alimento de recurso.

O canto subtil e delicado das aves,
A luz da lua e o brilho das estrelas
Nas noites de bailes, rodas, danças suaves...
Sentir estas coisas, precisas conhecê-las!

Leite fresco, manteiga, saboroso pão
Acabado de sair do forno de barro,
Acordar cedo, ouvir o galo pavão...
Vive-se ao ritmo dos bois presos ao carro.

É viver nas asas da imaginação,
Correr pelos campos, vibrando alegria,
Rebolar na erva até à exaustão,
Olhar a paisagem... a melhor poesia!

Modesto

domingo, 11 de março de 2012

CORAÇÃO GENEROSO























És a flor que tenho na almofada,
Estás lá para me dar alegria.
És o melhor adorno, minh'amada,
Profundidade da tua magia!

É doce teu beijo, tão saboroso,
Que com ternura simples me osculas...
Faz um amanhecer silencioso,
Enquanto, rápido, da cama pulas.

Suaves carícias que me fazes,
Tornam meu sonho realidade.
Silenciosos, lá vamos por fases
E o amor traz a felicidade.

As ternas palavras são meu enlevo,
Cada manhã ao começar meu dia,
Soam bem ao ouvido e m'atrevo
A fazer delas linda poesia.

À noite, teu deitar silencioso
Completa o amor daquele dia.
A força dum coração generoso
Faz essência o que eu previa.

Modesto

sábado, 10 de março de 2012

MINHA ALMA AGRADECIDA























Brotam da minh'alma agradecida
Tão ternas e melodiosas notas,
Soam p'lo espaço em sustenida...
É música de regiões ignotas!

A minh'alma é um grande tesouro,
Onde se escondem os sentimentos,
Tão parecidos com o rico ouro
Que se obtém com os padecimentos.

Dentro de cada um do ser humano,
Há uma bela jóia inestimável,
Um grande recurso sobre humano:
Faz cada pessoa incomparável.

No meu corpo Deus quis pôr uma alma
Para que gozasse dos bens eternos,
Os apreciasse com tod'a calma
Sem dar tanto valor aos bens terrenos.

Jesus, Filho de Deus, Te agradeço
Teu Sangue derramado por minh'alma.
Sofrestes por mim e eu não mereço
A Transcendência que me dá calma!

Modesto

quinta-feira, 8 de março de 2012

HOJE, DIA DA MULHER




















Como o sol nasce no monte
E todo o vale ilumina,
Também no meu horizonte
T'avistei duma colina.

Era manhã cor-de-rosa,
Cantavas e eu ouvia
A tua voz melodiosa,
Com'a voz da cotovia.

Nasceu em mim como mágoa
Um canteiro sem dar flor!
Chorei, qual fonte d'água,
Por não te ter por amor!

Abriu-s' um sol deslumbrante,
Do melhor que tem a vida:
Já não estavas distante,
Atrás da fonte escondida.

Os teus olhos verdes deram,
Como faróis redentores,
Nos meus que humedeceram,
E logo brotaram flores!

Fizemos o nosso ninho
Cheio de fulgor sagrado!
Nunca mais andei sozinho,
Nos montes abandonado.

Deus te proteja e guarde,
Minha Mulher , Talismã!
Ó minha estrela da tarde!
Minha estrela da manhã!

Modesto

quarta-feira, 7 de março de 2012

QUERO VENCER


















Não é a tristeza nem a desilusão,
Nem a solidão que m'impedem de sorrir,
Nem nada... por mais que sofra meu coração,
Com a depressão... m'impedirá de servir.

Nem a doença, nem os agudos espinhos,
Mesmo errando... nunca deixarei de crer.
Nas lutas, tempestades e nos descaminhos,
É Contigo, Meu Deus, que quero viver.

Quero caminhar na certeza de chegar,
Quero procurar na certeza d'alcançar
O fim último dos ideais do meu ser.

Quero ser útil, prosseguir minha missão,
Quero intensamente servir meu irmão,
Conservar a minh'esperança e vencer.

Modesto

terça-feira, 6 de março de 2012

A MAIS BELA FLOR DO MUNDO
























Tu és a mais bela flor do nosso mundo,
Jardim florido com o sol a brilhar.
És noite de luar de brilho profundo,
Pássaro voando livre sem parar.

Tu és o céu azul, dia d'encantar,
És o mar calmo com ondas de beleza,
És estrela da manhã, luz do luar,
És, para mim, a força da natureza.

És a minha luz e a minha esperança,
És a minha guia e dás-me confiança,
Um coração grande com amor profundo.

És brisa que m'ajud'a continuar,
A pensar, a parar... a querer-t'amar,
És, para mim, a mais bela flor do mundo.

Modesto

ACALMA-ME, SENHOR




















Acalma, Senhor, a minha vida apressada,
Baixa as badaladas do meu coração,
Domina minha mente desassossegada
E diminui o ritmo da minha tensão.

No meio das confusões do dia a dia,
Faz-me tranquilo como é uma montanha,
Atenua os meus nervos com melodia,
Suaviza est'ansiedade tamanha.

Com a música tranquilizante dos rios,
Lava o vai-vem das minhas recordações,
Ajuda-me a afastar-me dos meus brios
E a dominar os meus sonhos folgazões.

Dá-me tempo para contemplar uma flor,
Ver um amigo, acarinhar um menino,
Ler um poema com música de valor,
Cantar tranquilo um fadinho pequenino.

Que eu perceba as lutas e desalentos,
As alegrias e tristezas do irmão,
As lutas diárias pelos alimentos...
E a Tua presença no meu coração.

Que poss'entoar o cântico da 'sperança,
Sorrindo ao próximo, sabendo escutar,
Inspirar-me nas raízes do ser criança,
Valores perenes da vida semear.

Modesto

segunda-feira, 5 de março de 2012

EU QUERIA O MUNDO ASSIM
















Eu queria olhar pró mundo, percebê-lo,
Sentir-me parte dos elementos seus,
Abrir-me nele até enternecê-lo,
Na mais perfeita harmonia com Deus.

Queria sentir a vida a pulsar,
Em qualquer idade, em todo o tempo...
Das suas belezas, poder admirar
Aquelas que lhe dão mais encantamento.

Deixar a vida acontecer na pureza,
Tal e qual como se é em criança
E, no desabrochar da flor da beleza,
Suscitar no mundo nova esperança.

Queria renascimento acolhido,
Pra proteger criança e ancião
E sentir um doc'olhar agradecido
Que fizesse palpitar o coração.

Queria viver em ágil movimento,
Como borboletas, jardins enfeitando...
Fazer voar veloz o meu pensamento
De paz e amor, a todos irmanando.

Modesto

sexta-feira, 2 de março de 2012

ENTRE O SONHO E A MAGIA


















Não nascem os sonhos meus
Num deserto d'ilusões:
São flores e frutos meus,
Peregrinos das paixões.

São caminhos germinando,
junt'às águas cristalinas:
Na vida me vão guiando,
Pelos montes e colinas.

Delas sou apaixonado
E lá fico a admirar
O cortejo encantado
Entr'estrelas e luar.

Meu sonho acorda o dia,
Embal'o entardecer,
Borboletas ao mei'dia,
Pirilampos ànoitecer.

Com as íris encantadas,
C'os pardais e c'as crianças,
Vejo flores misturadas
Com o alecrim em danças.

Alegria é constante,
No meio de belas flores,
Com meus sonhos baloiçantes,
A vida só tem valores.

Modesto

quinta-feira, 1 de março de 2012

PROCURANDO

















Caminho, quem te traçou?
Quem sabe pra onde vais?
Sei qu'é por aqui que vou,
Perdido com os meus ais.

Alguém já aqui passou,
Porque pegadas eu vejo.
Se também perdido andou...
Levari'algum desejo?

Ando perdido d'amor
Aqui, por este lugar,
Terra seca p'lo calor...
Com lágrimas vou regar.

Com amor vou semear,
Pra belas flores nascer.
Seu aroma vai cheirar
Meu amor qu'há-d'ap'racer.

Veio pra este lugar
Semeando a saudade!
Eu a terra vou regar...
Ela trará f'licidade!

Quando chegar o sol-pôr
E a flor desabrochar,
Hei-d'encontar meu amor
E amar-nos ao luar!

Modesto

NA ORAÇÃO «QUEM PEDE RECEBE»























A oração é uma arma poderosa,
Um tesouro de riqueza indestrutível,
Porto de abrigo de calma generosa,
A fonte e a mãe do amor indizível.

Não pode ser medíocre nem negligente,
Brota do esforço e vontade da alma.
Escuta a voz de Deus com amor ardente:
Acab'a angústia, recebe a calma.

A alma desfruta de grande alegria,
Quando a oração brota do coração:
É como a planta em terra lavradia
Que sobe até ao céu em sua floração.

Mas não podes desviar o teu pensamento
Para o mundo ou falta de segurança,
Prós infortúnios e pró seu sofrimento:
Deves pedir alívio, ter confiança.

Se te exaltas com a brisa refrescante
E encontras consolo na abundância,
Com mais razão a oração edificante
Te ajudará em toda a circunstância.

Deus quer que te aproximes e O abraces,
Lhe narres sempre as tuas tribulações:
Estará querendo e à espera que passes
A agir segund'as Suas predilecções.

Modesto

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...