quarta-feira, 25 de maio de 2011

ALEGRIA

O pecado e a melancolia
Estejam bem longe das nossas casas.
É necessária a alegria,
Que ela venha a nós e nos dê asas!

Voemos com ‘spírito d’alegria
Pelo mundo e façamos o bem.
Levemos aos povos a harmonia,
A esperança, o amor também.

Como raio de sol é o amor,
Uma chama que brilha, que nos queima:
- Garantia contra as tentações.

Alegria é dada p’lo Senhor.
Quem é alegre não se cansa: Teima!
- Transmite-a a todas as nações.

Modesto

terça-feira, 24 de maio de 2011

PRECISO DE ALGUÉM

Preciso de alguém
Que me veja como eu sou,
Que me ouça com paciência
Quando a minha já acabou.
E, mesmo que não compreenda,
Respeite a minha essência
Donde tudo derivou
Com a minha insuficiência
E... me leve a ter emenda.

Preciso de alguém
Que respeite os meus sentimentos,
Que queira estar a meu lado
Naqueles dia mais cinzentos,
Mesmo sem ser convidado
E que me diga a verdade,
Mesmo que eu não a queira ouvir
E sinta dificuldade
Em aceitá-la e dela rir...
Mantenha sempre a amizade.

Preciso de alguém
Que teime em ser leal
Mesmo que eu fique sem dinheiro
E que não me leve a mal
Se eu insistir ser verdadeiro
E receba com gratidão
A minha mão de amigo,
Que seja bom de coração
Quando, com minha mão estendida,
Eu lhe pedir abrigo,
Aceite a minha oração
Para o ajudar na vida.

Preciso de alguém
Que seja condutor de fidelidade
e que, no meio da tempestade,
Grite bem alto comigo:
- «Vamos em frente, amigo
E, com verdadeira amizade,
Me faça ver a estrela
Que anuncia a nova aurora
Duma vida mais justa e bela,
Sem querer que eu vá embora.

Modesto

sábado, 21 de maio de 2011

DERROTA

Eu entrei na Primavera
Cheio de bons sentimentos,
Belos como a vida era
Repleta de elementos.

Floresceu a natureza,
Expandi meus pensamentos...
Tentei viver na pureza:
Esforço de vis tormentos!

Teses boas escutei,
Propósitos formulei:
Quis dar sentido à vida!

Ela veio de repente,
Cortou-me as asas rente...
Deixou-m'a alma despida!

Modesto

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A MINHA NETINHA

Minha Neta Mariana
Também filha de Maria
E bisneta da Mãe Ana...
És minha meiga alegria!

Tu nasceste da Susana,
Bela como flor-de-lis...
És doçura, Mariana,
Terna com'o Pai Luís.

Eu contemplo a beleza
Que te deu a Natureza:
- Notável continuidade!

Tens vozinha divinal,
Como Anjos no Natal:
- Trazes paz, felicidade!

Modesto

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O ENCONTRO

Faz parte do relacionamento,
Objectiva lapidação do SER
Com os abraços de contentamento...
Por momentos, esquece-se o TER.

Reflecte-se corrente positiva,
É terapêutica pró "stressamento",
Unem-se sentimentos, vida viva,
Matam-se saudades do nosso tempo.

Vêm as palavras fundamentais:
Da nossa realidade e certeza,
Da felicidade e d'alegria...

Trocam-se brindes que são dons reais:
É-se um jardim a doar beleza,
Uma flor a espalhar a magia.

Modesto

sexta-feira, 13 de maio de 2011

DIA DOS NAMORADOS

Meu coração aos pedaços
Recolhe a luz do luar:
Sou o Romeu, nos seus traços,
Eu só quero namorar.

Aproveito este dia
Para o amor expandir:
Quero levar a alegria
Ao amor que já ´stá a rir.

Vou fazer-lh'a serenata
Com músicas de magia
Debaixo das colunatas.

Vou cantar uma canção
Com ternura e poesia,
Vou dar-lhe meu coração.

Modesto

quarta-feira, 4 de maio de 2011

EIS-ME AQUI, MÃE

Mãe, eis-me aqui
Novamente ao pé de ti!
Já andei um bom bocado do caminho!
Passei dias e noites fora do ninho:
Dias de alvoradas luminosas,
De manhãs de primavera,
De tardes de arrebol!
Dias brilhantes... Oh! Quem me dera
Ver novamente aquele sol!
Foram dias de luz, de claridade...
Dias alegres ao sol nascente,
Com meios-dias de mocidade
 E tardes de amor ardente!
Dias risonhos
Com suave canto dos passarinhos,
Dias de sonhos
A cheirar a rosmaninho!

Passei noites tristes, saudosas,
Noites de lutas, incertezas,
Tremendas, tenebrosas,
De volúpias e fraquezas!
Noites escuras e sem ninguém:
Parecia que tudo de mim fugia!
Não ouvi a tua voz, Mãe!
E assim... aflito, medroso: Não via ninguém...
Parece que tudo de mim ria!

Voltei! E que alegria no coração!
Não sei exprimir tão grande consolação.
Mãe, mil vezes grande, bela, honrosa,
Como és boa, generosa!
Eis-me aqui
Novamente ao pé de ti!
Hoje, aqui...
Queria ficar ao pé de ti.

Mas... Não posso parar!
A vida continua
E há muito para andar
E eu vou continuar...
Mãe, se me vires triste na rua,
Vem-me auxiliar:
Segura minha mão quando eu voltar.

Modesto

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...