Follow by Email

sexta-feira, 31 de março de 2017

TRAGO TEU AMOR COMIGO

























Vida, caminho deserto ond' ando
Agreste, de sentimento amargo.
Vales e montes, inútil andando...
É em mim que o Teu amor eu trago!

Existência, não sei até quando...
Advirá das águas dum grande lago?
Lágrimas como num rio rolando,
Fonte infinita que eu afago!

Sob rochas quietas, todo o dia,
Oculto no meio da sombra fria,
Balbucio o Teu nome na dor!

A Tua luz, para mim, não é mito:
Chamo por Ti com o clamor dum grito,
Bordo que qu'ria qu' ouvisses, Senhor!

Modesto

CONHEÇO BEM A NATURAZA




















Sim, eu nasci perto de lindos montes,
Onde as águas passam a cantar
As canções dos rochedos junt' às fontes,
Aprendi com as águas a falar.

Sei a linguagem das belas fontes,
Falam comigo as águas do rio.
Vejo, à tarde, lindos horizontes
Que cantam saudade e mostram brio.

Compreendo seus íntimos segredos,
Sou como irmão dos altos penedos,
Ouço a voz do rio, hoje, mudo...

Entendo porque hoje leva mágoas,
Pois sou irmão da luz, do ar, das águas,
Porque Deus criou-me par' amar tudo.

Modesto

quinta-feira, 30 de março de 2017

RECORDAÇÕES DE PRIMAVERAS
























Conto os dias, horas e momentos
Que foram vividos com meus amores.
Encontro alegrias, sentimentos
Nas árvores, pedras, ervas e flores.

As aves voavam ao sol e ventos,
Nos montes, vales... Havia pastores:
Deixaram saudades, contentamentos...
Nos campos havia trabalhadores!

E quanto me era doce, suave,
Entregar a minha vida à chave
Do bom amor qu' 'inda se apresenta!

Havia dor... mas de face lavada,
Memória da bonança gravada,
Qu' ainda sinto gosto da tormenta!

Modesto

quarta-feira, 29 de março de 2017

JÁ CHEGOU A PRIMAVERA



















Chegou delicada e perfumada,
Salpicada com as suas mil cores.
Primavera bela e enfeitada
E consigo trouxe as lindas flores.

A paisagem verde modificada
E os jardins ficaram sedutores.
Canto belo de muita passarada:
Pequeno, grandes... alegres cantores.

Destaca-se entre as Estações,
Espalha plo ar boas vibrações,
Dá presentes à bela Natureza.

E ficámos meses a esperar
Qu' o colorido viesse pintar
A paisagem com sua beleza!

Modesto

terça-feira, 28 de março de 2017

ESTÁ A CHEGAR A PRIMAVERA



















Passeio pelos campos verdejantes,
Sinto a brisa já anunciar
O sol, com seu sorriso flamejante,
Diz que a Primavera vai chegar.

Vejo que as flores já fazem festa,
Abanando ao vento de Abril.
Os pássaros já cantam na floresta
E brincam no azul do céu d' anil.

Ainda trémula, mas aparece,
Nós recebemo-la com uma prece,
Pelo deslumbre qu' ela nos vai dar.

Belos dias, tardes, anoitecer...
Primavera volta a florescer
E outra Estação vai começar.

Modesto

segunda-feira, 27 de março de 2017

PARA ONDE VAMOS


















É uma questão preocupante:
Depois da morte, para onde vamos?
Merece destaque relevante,
É segredo que já desvelamos!

Após o túmulo aberrante,
Frente aos medos que carregamos,
A existência vai adiante
Por novas vias qu' avançamos.

A morte é uma transição,
Mudança pra outra dimensão
Na sublime continuidade.

Novo plano par' as consciências
Em que seguem as experiências
Rumando para a Divindade!

Modesto

domingo, 26 de março de 2017

DE ONDE VIMOS



















Ao longo da nossa trajectória,
Pergunta que todos nós fazemos
E da qual não há escapatória,
É saber de onde nós viemos.

Na nossa passagem transitória,
Pelo corpo físico que temos,
Uma resposta satisfatória
É somente o que nós queremos.

Saídos das Mãos da Divindade,
Revestidos d' imortalidade,
Espíritos em evolução.

Viemos da Santa Claridade
Desenvolver a capacidade
Par' atingirmos a perfeição.

Modesto

sábado, 25 de março de 2017

COMO SER FELIZ

























_ Ser feliz, de que maneira?
Alguém sabe a receita?
_ Felicidade é bandeira
De quem a si se aceita!

Quem deseja ser feliz
A si mesmo se estude.
Pois, sem se conhecer, diz:
_ Não se cheg' à plenitude...

_ S' encontrar a rota certa,
Não seguindo mais a esmo,
Vê que tem a porta aberta
Pra descobrir a si mesmo!

_ Conhecer-me? Mas quem sou?
É importante saber!
Pois foi Deus que me criou,
Tenho que saber viver!

_ Esta auto-descoberta,
Cuide dela quem puder.
'Star receptivo, alerta,
Haja lá o que houver...

Modesto





















sexta-feira, 24 de março de 2017

COM ESPÍRITO LIBERTO













Mesmo de noite, está sempre desperto,
Para ver outra luz doce e tranquila,
Qual sublime alvorada que vem perto,
No horizonte fúlgido já cintila.

Extasiado, espírito liberto,
Abandonando o corpo de argila,
Longe das sombras, do caminho incerto,
Vê o céu pleno, claro, que te asila.

E vai subindo por ásperos caminhos,
Sob cruzes de lágrimas e de espinhos...
Irás abraçá-las e compreendê-las.

Aguenta tua dor ríspida mas santa,
Que outra vida mais alta se levanta
No luminos' império das estrelas.

Modesto

quinta-feira, 23 de março de 2017

ESPÍRITO MUSICAL



















O ser espiritual
Tem a oportunidade
De ser também musical,
Buscando a felicidade.

Música sublima alma,
Evolui todo o seu ser.
Planta a sua palma,
Para um feliz viver.

Homem espiritual,
Que também é musical
E bem feliz pode ser.

A vida é musical,
Até par' o animal,
Vivendo no mesmo ser.

Modesto

terça-feira, 21 de março de 2017

VIVEMOS COMO CEGOS



















A fama, glória, poder, a nobreza,
Ciência, avareza... tudo quanto
Encerra, neste mundo, a vã grandeza
Em honras, distinções... de canto a canto.

A Pluto, deus cego e de vil baixeza,
Adoramos de joelhos como santo.
Ele pode ser rei, dono da riqueza,
Mas é um reino atroz e de espanto.

Da cadeira do seu trono, 'stão pendentes
Agentes que repartem às cegas gentes
Coroas, laudeus, brasões, até tiaras...

Cegos e com peças d' ouro reluzentes,
Tudo lhe oferecemos - torpes aras -
Pla honra, liberdade... e vidas caras!.

Modesto

domingo, 19 de março de 2017

NO DIA DO PAI, PARA MEUS FILHOS


















Meu peito é um lar, doce abrigo,
Onde hospedo nobres sentimentos.
Ele não é só de quem 'stá comigo,
É para vós, sem prantos nem lamentos.

Aqui a vida vive sem fragmentos,
Só há amor e nada de perigos,
Amor espalhado aos quatro ventos,
No peito vos trago, mais que amigos.

Meu lar é coluna de bem querer,
Onde o sol reluz ao alvorecer,
Porta sem chave prá sinceridade.

Meus filhos, deste lar eu me dirijo
A vós dois que sois o meu regozijo,
Onde podeis buscar a amizade.

Modesto

sábado, 18 de março de 2017

A MINHA IDEIA DE DEUS





















Deus é sabedoria providente,
A causa primeira inabordável,
É grande, excelso, benevolente,
Inteligência incomparável.

Seu poder supremo, omnipresente
É absoluto e inigualável.
Gerador de mundos e previdente,
Por todos os seres é responsável.

Amor, misericórdia, bondade,
Ternura, justiça e caridade:
Atributos da Sua perfeição.

O ritmo harmónico e vigente,
Sua ordem em tudo existente,
São as Suas marcas na criação.

Modesto

sexta-feira, 17 de março de 2017

SER BOM



















É tão fácil ser bom! Por que não ser?
Por que não espalhar ao seu redor
O perfume subtil do bem querer
Que faz a vida parecer melhor?

Um gesto bom, uma palavra boa,
Por vezes custa pouco e vale tanto!
É feliz quem ama e quem perdoa,
O que sabe fazer cessar o pranto!

Uma palavra dura soa mal,
É a gota de fel que destilamos.
Mas tem ressonância de cristal
Qualquer palavra boa que digamos.

É tão fácil ser bom! Sejamos bons,
Seguindo Lei Divina da bondade.
E, no cultivo dos melhores dons,
Havemos d' alcançar a santidade.

Modesto

quinta-feira, 16 de março de 2017

GRANDEZA DO AMOR























Quem quer um grande amor tem que dar-se,
Abrir, mostrar o "EU" interior,
Sem fazer dos sentimentos disfarce...
O rosto brilha, quando há amor.

Amor é cais, vive a procurar-se,
A lua é farol no seu fulgor.
Não se perde, por mais que se esgarce,
É um só, qual o talo e a flor.

Quem o tem, oferece-o sem preço,
Maior qu' o seu valor é o apreço,
Está em todos, feito em contágio.

É grande para unir alguém distante,
É vida mesmo em vão instante,
É forte e grande... só por ser frágil.

Modesto

quarta-feira, 15 de março de 2017

A PROCURA INTERIOR



















O encanto que reveste a singeleza
Aos puros se reserv' aparentemente,
Como ao sol a translúcida represa,
Bem longe, ao natural, de toda gente.

Quando se busca a opaca ciência,
Que do que é simples se faz tão deserto,
É porqu' a vida perde em transparência
O que ganha de falso: rota incerta.

Buscar o que está perto, mas distante
E que se alegra, volta a ser infante,
Fica na 'scuridão que sempr' é triste.

Por isso é que retomo est' encanto,
Vou à procura difícil no seu canto:
Eis o caminho que só em nós existe!

Modesto

terça-feira, 14 de março de 2017

VAI, POESIA!



















Vai, poesia! Escrevo-te no momento.
Dá-me alegria, não fel de nostalgia,
Mostra, neste verso, brio no meu talento...
Quem faz a rima, também faz a melodia.

O amor é guardado na poesia,
A poesia, dentro do meu pensamento.
Amor com dor, não resiste à alegria,
Logo, desfalece ao seu deslumbramento.

Ele revela-se àquele que te 'screve
Em letras d' ouro, caídas sobre a neve...
Vai, poesia, só te resta um terceto.

Mas perdoai-me se insisto neste tema:
Amor morre, eterniza-se num poema!
E é por amor que faço este soneto.

Modesto

segunda-feira, 13 de março de 2017

A VIDA PASSA

















A vida é assim... nasce, desaparece,
A gente não a governa nem a deslinda.
O tempo avança, o sofrimento cresce
Cada vez mais, como uma sombra infinda.

A graça. o amor... apaga-se, fenece,
O qu' impera amanhã, são mágoas ainda.
Não se muda a sorte, o bálsamo é prece
Que é somente o que nos salva e blinda. (=protege)

Na caminhada, o coração a sangrar
Sonhos e luz estão-nos a abandonar,
Palpita no peito uma agonia lenta.

Pois só triunfa quem vence esses horrores,
Essa sucessão interminável das dores,
Mas, com fé, suporta, estoico, e enfrenta.

Modesto

domingo, 12 de março de 2017

VOU VER O HORIZONTE




















Não sei dizer-te nem explicar, agora,
Porque me atrai o céu e me fascina.
Subindo, vou pelo infinito fora,
Com minha alma sempre peregrina.

Não sei dizer-te nem explicar, deveras,
Porque a solidão da serra m' arrasta:
Porque me enche de sonhos e quimeras,
Com horizonte e planície vasta.

Apenas sei que fico só e vazio,
Perdido em pensamentos, m´extasio,
Nesta beleza que me automatiza.

Àquilo que me cerca, fico alheio:
Subir, sonhar, voar... é o meu anseio,
Pra fugir do mundo que me brutaliza.

Modesto

sábado, 11 de março de 2017

AO AMOR DA MINHA VIDA




















Sinto-me cavalheiro com' outrora,
Quando te vi, donzela de meus sonhos.
Os tempos perderam-se pla história,
Nem saudosos, nem feios, nem tristonhos.

Meu amor - a distância não encerra
Aquela sensação dos anos dantes -
É muito mais imenso qu' esta terra,
Maior do que pensei, 'inda infantes.

O corpo parece velho, cansado,
O coração. porém, segue seu fado...
O tempo da passagem está perto!

Que eu possa, até ao fim, querida,
Dizer qu' és o amor da minha vida,
Sempre jovem no seu compasso certo!

Modesto

sexta-feira, 10 de março de 2017

TARDE DE PASSATEMPO














Não teria importância,
Era coisa de momento.
Ganhou, porém, relevância
A marca do sentimento.

Não tinha medo de nada,
Pensava qu' era loucura.
Mas provocava risada...
Era amor que dói e dura.

Todo o amor dá coragem...
E ao amor eu brincava,
Na tarde de vadiagem,
Eu queria e amava.

Era pra ser passatempo...
Mas dói, corrói e perdura!
Era coisa de me momento,
Mas deu lugar à loucura!

Modesto

quinta-feira, 9 de março de 2017

A PONTE DA ALMA



















Há uma ponte suspensa na minh' alma
Que me liga ou separa do meu Deus,
Há, dum lado, a clareza e a calma
E, doutro, a 'scuridão que é dos incréus.

Cada dia dirijo os passos meus
De margem a margem, sem levar a palma,
Andando por caminhos que são os Teus:
É nestes caminhos que se canta salmo.

Assim, eu sou um fraco... Forte e fraco,
Um andarilho na ponte sem espaço,
À procura da Tua eternidade.

Certo que, um dia, no mundo opaco,
Cruzarei, para sempre, com firme passo,
Para o lado mais belo da Verdade.

Modesto

quarta-feira, 8 de março de 2017

FAZEI-ME VOLTAR



















Senhor, põe-me novament' à Tua frente
E faz com que encontre o Teu caminho.
Perdido andei e 'stou, se de repente,
Soment' a mim  me entregas e sozinho.

Oh! Quantas vezes me sinto diferente
E volto a ser, no tempo, descaminho!
Quantas vezes Te vejo e sou descrente
E, na cidade, sou agreste espinho!

Cristo, mostra-me sempre o Teu amor,
Qual tesouro encontrado num terreno,
Valendo mais que tudo, pois que é vida!

Faz-me Teu filho, seja eu como for
E que eu viva naquele DOM sereno
Que me leva à chegada da partida.

Modesto

terça-feira, 7 de março de 2017

PASTOR



















Ao deixar o trato pastoril, amado,
Pela ingrata e vil concorrência,
Ou no retiro, na paz... não foi provado
Ou desconhece o qu' é bom prá vivência.

Que bom é ver um campo bem trabalhado
E na serra, o pastor com inocência,
Sem deixar o seu rebanho tresmalhado
E vê-lo bem tratado na aparência!

Lá respira-se amor, sinceridade
E nunca se mente, só diz a verdade
E, como tradição, seu rosto descobre.

Na serra não se observa a vaidade,
Porque lá não há fortuna que lhe sobre...
Bem-aventurado pastor que é pobre!

Modesto

segunda-feira, 6 de março de 2017

REMÉDIO PARA A ANGÚSTIA



















Verdade, amor, razão, merecimento,
Qualquer alma fica segura e forte,
Tem do mundo confuso seu pensamento
Que leva a fortuna, tempo e sorte.

Mil efeitos revolve o argumento
E não sabe a que causa se reporte,
Não alcança humano entendimento,
Mas sabe que é mais vida do que morte.

Há coisas criadas que não são passadas,
Experiências da vida provadas,
A nossa razão nos vai mostrando isto.

As nossas preces nos dão razões subidas,
Criador e criaturas 'stão unidas
E o melhor é acreditar em Cristo.

Modesto

domingo, 5 de março de 2017

DAR ESPERANÇA

























Se teus olhos choram por desconhecer
Atalhos mais curtos na vasta distância,
Faz mundos iguais directos ao saber:
Isto, com razão, te pede a criança.

Podias mesmo deixar de o fazer,
Se soubesses da mais pequena distância?
Acolhias o mundo no conhecer,
Aos corações darias esperança!

Olhai, Senhor, hoje mais pelas crianças
E dai-lhes leituras com boas lembranças,
Que brinquem e sonhem, criem fantasias!

Aos pais dos meninos, Senhor, segurança.
Professores e escolas sem ganância
E, pró futuro, alberguem alegrias!

Modesto

sábado, 4 de março de 2017

NO MEU JARDIM, SONHANDO

















Logo de manhã fui ver o meu belo jardim,
Verdejante e ornado com lindas flores:
Açucena, amor-perfeito, e jasmim,
Exalando fragrância - misto d' odores.

Dum lado, formosa, estava uma rosa,
Do outro, perfilado, estava um cravo.
A rosa repousava com graça mimosa,
O cravo implorava amor com' um bravo.

Assim, duma forma magna, esplendorosa,
A felicidade reinou imperiosa...
A história dum amor aconteceu!

Ao meu lado acordou outra linda rosa:
- "Foi só um sonho, o dia amanheceu!...."
E, pensando melhor, o cravo era eu!

Modesto

sexta-feira, 3 de março de 2017

DIA TORMENTOSO

















Na confusão do mais horrendo dia,
Painel da noite, tempestade brava,
Terra, água... o ser se confundia,
Fogo, ar... o ser se embaraçava.

Brama mar, vento embravecia,
Da noite o dia s' equivocava,
Terra abanava, estremecia
Com 'strondos horríveis que assombrava.

Todos fugiam para seus apriscos
E dos altos e côncavos rochedos,
Houve temor nas nuvens e penedos...

O céu dava ameaças e riscos,
Relâmpagos, trovões, raios, coriscos...
Com assombros, com pasmos e com medos.

Modesto

quinta-feira, 2 de março de 2017

CÉREBRO E CONSCIÊNCIA















O usar o cérebro com frequência
Não devia ser difícil fazer,
Moderadamente, eficiência,
Arriscando-se a se conhecer.

Assim, treinando mais a excelência,
Pondo a vida sempre a ferver,
Terá o máximo de consciência,
Descobrirá ter um grande poder.

Depois, nunca mais um inoportuno,
Um impertinente, mas bom aluno
Vem a mais uma nova ensinança.

Deve exercer uma determinada
Consciência, será aumentada...
Pois é essa a sua esperança.

Modesto

quarta-feira, 1 de março de 2017

"MEA CULPA"

















Ó montes altos, vales abatidos,
Verdes ribeiros de correntes rios,
Ora por largos campos estendidos,
Ora por baixos bosques sombrios!

Aqui, mais claro vejo repetidos
Meus males que eu julgo desvarios,
Tão mal emendados, quão mal sentidos
De pensamentos maus, baixos e frios!

Passei a mocidade sem proveito,
Antes, contra meu Deus acrescentando
Culpas sobre culpas que tenho feito!

Viver a velhice que 'stá chegando,
Se no Seu Sangue eu não for nadando...
Terei que viver em passo estreito!

Modesto