terça-feira, 14 de março de 2017

VAI, POESIA!



















Vai, poesia! Escrevo-te no momento.
Dá-me alegria, não fel de nostalgia,
Mostra, neste verso, brio no meu talento...
Quem faz a rima, também faz a melodia.

O amor é guardado na poesia,
A poesia, dentro do meu pensamento.
Amor com dor, não resiste à alegria,
Logo, desfalece ao seu deslumbramento.

Ele revela-se àquele que te 'screve
Em letras d' ouro, caídas sobre a neve...
Vai, poesia, só te resta um terceto.

Mas perdoai-me se insisto neste tema:
Amor morre, eterniza-se num poema!
E é por amor que faço este soneto.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...