sexta-feira, 31 de maio de 2013

O MEU "VALE DO LINHO"


















Ai que saudades de ser menino,
Naquela terra de liberdade,
Do que vivi no meu "Vale do Linho",
Qu'inda traz dor e ansiedade!

Ai trigais e flores de mil cores...
Era um consolo de claridade!
Pássaros lindos  e bons cantores,
Tudo era belo na tenra idade!

Vinde! Oh tempos antigos, vinde!
Vinde mudar o que contemplais
No " Vale do Linho" e nos laranjais!

Ainda gosto de estar ali,
Onde parte da vida vivi...
Sonhos de menino, onde estais?

Modesto

terça-feira, 28 de maio de 2013

JARDIM DO AMOR
























Fui ao jardim do amor,
Vi algo inusitado:
Nasceu uma linda flor,
Só, no meio do relvado.

'Inda estava fechada
Com uma legenda escrita:
"Jardim do amor, amada,
Tu és a flor mais bonita".

O terreno era às ondas
Todo coberto de flores,
Só onde faziam rondas,
Um relvado dos amores.

Uma linda borboleta
Esvoaçava num canteiro
Onde estava a violeta
Que brilhava o dia inteiro.

Uma sombra no cantinho,
Mundo de sonhos constante,
Um par cheio de carinho,
Tornava o jardim amante.

Modesto

segunda-feira, 27 de maio de 2013

TU ÉS A MINHA FLOR






















Madrugada fria...
Amanhece o dia
Sempre a pensar em ti, minha adorada,
E é doce a fantasia!...
Sonhar contigo, não quero mais nada,
Sou uma pessoa realizada.

Musa e amante, tu és a minha flor,
És a rainha dos meus sonhos.
Tenho em ti um imenso amor,
Belo como os cravos risonhos.

Se não estás, é triste a solidão.
De coração vazio, árdua é a espera,
Já não sou aquilo que era.
Pensar em ti é pura emoção.

Como eu te desejo!
Vem satisfazer minha paixão!
Preenche as lacunas, dando-me um beijo,
E alegrando este sofrido coração.

Modesto

domingo, 26 de maio de 2013

AMOR ETERNO

























O dia amanhece com todo o fulgor,
Brilha o sol no azul do céu infinito,
No teu meigo olhar ternura e calor,
Nos teus lábios o sorriso mais bonito.

No jardim mais uma roseira floriu,
Natureza que a nossa paz sublimou,
Primavera serena, o inverno fugiu,
Mas foi nele que nosso amor aumentou.

Toda a Natureza conspira a nosso favor,
Irmanada nesta magia tão envolvente...
Até o vento nos barre o corredor,
Para nos deixar juntinhos eternamente.

Somos o espaço onde a luz aparece,
Tela que emociona o sensível pintor,
Romance na noite onde tudo acontece,
Espelho que assiste à grandeza do amor.

Por teus encantos me deixei levar,
Já que tu és tudo o que sempre sonhei...
És o melhor que a vida me podia dar:
A musa que eternamente amarei.

Modesto

sábado, 25 de maio de 2013

O QUE É A VIDA?

























A vida é o bater do coração
Ou é uma doce ilusão?
A vida é maravilha ou sofrimento
Ou alegria e lamento?
Há quem diga que nada somos no mundo.
Somos uma gota do tempo
Que nem chega a ser um segundo!
Mas sinto no meu pensamento
Que isto é um mistério profundo:
É o Sopro Criador,
Numa atitude repleta de amor!
Diz-se que a vida é luta e prazer,
É amar e sofrer,
É viver e... morrer.
Mas eu gosto de dizer
Que a vida é:
Luta e fé
Num Deus Criador
Que é todo Amor.
N'Ele ponho minha esperança
E digo como criança:
Viver é lindo e tem valor!

Modesto

sexta-feira, 24 de maio de 2013

BELEZA DA MULHER
























Solta cabelos ao vento e toda se abana,
Veste-se de verão da cor da açucena,
Apanhou raios de sol, p'la pele morena,
Vai brilhar pelas ruas, por toda a semana.

Soltando juventude e faiscando chama,
Lindas pernas, grossas coxas, saia pequena...
Voz de menina qu'inda é quase ingénua,
Faz-nos sonhar com seu "glamour" e sua fama.

Algum poeta cantará sua beleza?
Foi o Redentor que nos deu esta riqueza
Com a roupa justa, belo passo rebolado.

O seu sorriso afirma qu'a vida é bela
E vai deslumbrando a quem passa por ela...
Sensível, displicente... tudo aprumado!

Modesto

quinta-feira, 23 de maio de 2013

VIDA



















Vivo uma vida festiva,
A vida da existência:
Labirinto sem saída
E, às vezes, de ausência.

Tenho crença fervorosa,
Confio nos argumentos
D'um verso ou d'uma prosa
Qu'às vezes saem cinzentos...

Tenho um olhar distante,
Virado pró horizonte:
É deserto delirante
Com a solidão aos montes.

Mas na vida eu confio,
Apesar do seu horror:
Há um viver doentio...
Já não se vive o amor!

Modesto

quarta-feira, 22 de maio de 2013

TUDO PARA TI

























Eu queria alcançar o vento
E pegar as estrelas do céu,
Ter um arco-íris um momento
E transformar a lua em véu.

Eu queria abarcar o mar,
Saber voar como as gaivotas,
Toda a borboleta apanhar...
Meus desejos viraram derrotas!

Queria ser um bom par de dança
Pra te dar da vida emoção...
Só ficaram lágrimas d'esp'rança
Para regar o teu coração.

Modesto

terça-feira, 21 de maio de 2013

ANOITECER NA ALDEIA


















A noite aparece com tal mistério,
Silêncio, sem rumor, tão devagar...
Este crepúsculo é como o luar
Que vejo iluminando um cemitério.

'Stá tudo tão imóvel...serenidades...
E a tristeza que vem aos sonhos meus!
Meus olhos choram, vou dizendo adeus,
Aqui, neste mar de infelicidades!

Oh! Minhas belas paisagens de antanho!
Oh! Minhas ovelhas que não viveis mais!
Até as nuvens passam desiguais,
Cheias de sonolência do rebanho!

Seres e fadas... tudo se foi embora!
E, na auréola triste do luar,
Anda a lua e tudo devagar...
Parece a Procissão de Nossa Senhora!

Modesto

segunda-feira, 20 de maio de 2013

CAMINHANDO...
























Caminha devagarinho,
Encontras felicidade,
Lá pró meio do caminho,
Vais encontrar amizade.

Teu destino está traçado:
É o caminho da vida...
Ele só é complicado
Se vives vida perdida.

Se confrontos t'assustar,
Vive de cabeça erguida!
Se transtornos sufocar,
Tenta evitá-los na vida.

O caminho chega ao fim
E teu coração perdoa!
Não te esqueças de mim,
Não ando aqui à toa!

Modesto

domingo, 19 de maio de 2013

NÃO TE ARRUÍNES















Toda a terra se tornou pecadora
E a alma gosta da rebeldia.
O corpo treme por dentro e por fora,
Caiando fantasmas de alegria.

Vives no luxo, na tua morada
Por pagar, arruinado a curto prazo.
Já herdaste os teus vermes na jornada,
Ou levaste a vida ao acaso.

Não te arruínes, homem, enriquece!
Vende escória e desperdício...
Comprar eternidade se merece.

Tem pena dos que estão ao teu serviço.
Muda de vida qu'a alma merece.
Vive a vida, acaba o vício!

Modesto














sábado, 18 de maio de 2013

O CANTO DO CISNE


















No ar sossegado um cisne canta
E, um outro canta, num ar sombrio...
Bem pálida a Vénus se levanta
E vem ter comigo cheia de frio.

Um cisne canta lá no aquário,
Longe, entre névoas, aparece...
Há um cisne que canta solitário,
Canto que, de manhã, é uma prece!

Que frio! Embuçam-se as colinas,
Chora, correndo, a água no rio,
Vejo no céu aparecer neblinas...
Vai nevar, branquinha, com este frio...

Ninguém! Estrada ampla e silente,
Sem caminhantes, quase s'adormece...
Há um cisne que canta docemente
E canta, de manhã, a sua prece!

Modesto

sexta-feira, 17 de maio de 2013

tudo o que sonhei não foi perdido
























Sonhei muito e antes de vivido.
Era perfeito, lúcido, divino...
E tudo o que sonhei não foi perdido,
Nas ondas caprichosas do destino.

O que as fadas em mim depuseram:
Coisas de ser e de não ser... Contrárias!
E tantas emoções em mim cresceram
Tumultuosas, carinhosas... Várias!

Eu já sonhava dentro de um ser
Que m'ensinou a sonhar pra viver
A minha vida luminosa e calma.

Se desdobrarem gestos de menino,
Encontrarão restos desse ensino:
Actualidade de sonhos d'alma!

Modesto

quinta-feira, 16 de maio de 2013

ALMA SERRANA

























Alma serrana de consciência pura,
Assim eu quero a vida que me resta.
Saudade é viver na dor e na amargura
A diluir-se ao longe sem fazer festa.

E, não me tentem rotas da aventura,
Pois eu já sei que minha vida é esta.
É difícil 'star longe da tua altura!...
Quando vou à serra, trago uma giesta.

Meu poema é fácil de entender,
Como a chuva faz a planta crescer,
Como a raiz bebe da água corrente.

É fácil ou difícil um tema obscuro?
Lá, tenho um cantinho atrás do muro.
Lá, vejo o pôr do sol! E toda a gente!

Modesto

segunda-feira, 13 de maio de 2013

AMANHECER NA ALDEIA





















Inspirado em nada, p'la via seguia,
Percorrendo trilhos que já mal percebo,
A genuína extensão da utopia
É o sopro da'sperança que recebo.

Os arcaicos lugares da saudade,
Perto dos belos umbrais da minha porta,
Fazem-me fermentar a ansiedade
Na lembrança da flor que já está morta.

Ao rever este lugar tudo faz jeito.
Ainda os cheiros dormem no meu peito,
É a saudade que tudo acordou!

Num último olhar, até a aragem
Me fez ver que é a mesma paisagem
Que o meu coração sempre guardou!

Modesto

quinta-feira, 9 de maio de 2013

SEGUE-ME












Segue-Me, vem comigo.
É um desafio pra seguir os passos de Jesus,
Não por obrigação ou por castigo,
Mas com a certeza da vida plena, mesmo com a Cruz.

Tu me convidas a ir conTigo,
Como de uma criança a simplicidade,
Como de um filho amado a liberdade,
Como de um discípulo a docilidade...
Vou! Basta-me saber que vou conTigo!

Modesto

sexta-feira, 3 de maio de 2013

DESAFIO

















Olho para o alto e vejo a montanha.
São muitos os desafios e as descrenças...
A insegurança é tamanha!
Mas eu tenho em mim forças poderosas
Que precisam ser despertadas
E ouso despertar as esperanças desejadas.
Acredito e transformo os sonhos em realidade,
Olho para o alto e cada desafio traz-me vontade
Para reforçar a luta
E vencer com determinação a labuta.
Isso dá-me mais poder
Para chegar lá cima e ver
Com uma sensação esquisita:
A montanha a meus pés,
É o prazer supremo da conquista!

Modesto

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O POVO DO MEU POVOADO

 
No meio do céu estrelado,
Numa noite em qu'o meu povo
Tinha tudo preparado
P'ra mudar, para ser novo,
 
Refloresceu-lh'a memória,
Reeditando o rogo,
Lembrando a sua história,
Querendo nascer de novo.
 
Fizeram muitas doçuras
Mas com açúcar a rodo,
Pra abolir as amarguras
E querer nascer de novo.
 
E parece renascer:
Primazia ao importante,
Sonho a florescer...
Meu povo é int'ressante!
 
Modesto




















 

quarta-feira, 1 de maio de 2013

ONDE O VERDE DA MONTANHA?
















Olha, vê: Já murchou a bela camélia!
Trouxe-a da japoneira da Amélia,
Num belo dia ao entardecer...
Trouxe outras lindas flores da montanha
Que relembram uma saudade tamanha
Do passado da vida, do meu viver.

Foi bom viver nesta região serrana,
Como era bela a minha cabana!
Sem falar do jardim com aquelas dálias...
Hoje sou só um poeta solitário
Sem a emoção do canto do canário...
Tudo se foi! Só ficaram as sandálias.

Ver o verde da floresta exuberante!
É tudo cinza!... Não vou mais adiante.
Tudo morto, sem vida, diferente dia!
Vivia mesmo ao lado da floresta,
Meus olhos viam a Natureza em festa...
Hoje não inspira mais a poesia!

A noite da minha vida está a chegar.
Sinto e percebo meu rosto molhar,
Culpa do tempo que aqui me deixou:
Dor no coração e com alma doente,
Vejo o sol a sumir-se no poente...
Traga a noite qu'a chorar já estou!

Modesto

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...