quinta-feira, 16 de maio de 2013

ALMA SERRANA

























Alma serrana de consciência pura,
Assim eu quero a vida que me resta.
Saudade é viver na dor e na amargura
A diluir-se ao longe sem fazer festa.

E, não me tentem rotas da aventura,
Pois eu já sei que minha vida é esta.
É difícil 'star longe da tua altura!...
Quando vou à serra, trago uma giesta.

Meu poema é fácil de entender,
Como a chuva faz a planta crescer,
Como a raiz bebe da água corrente.

É fácil ou difícil um tema obscuro?
Lá, tenho um cantinho atrás do muro.
Lá, vejo o pôr do sol! E toda a gente!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...