quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

SENTIMENTOS E RAZÃO

















Deixa qu'o vento lev'as más recordações.
Retém só as coisas boas do coração...
Vamos viver uma vida sem ilusões,
Com muito amor, alegria, perdão.

Assim, verás qu'a vida tem momentos belos,
Que a alma vê melhor com o coração.
Vivemos uma vida plena de anelos,
Com emoções vividas mais pela razão.

Não dês importância às coisas pequenas
Que só nos aumentam as dores e as penas
E não foralecem nem paixão nem amor.

Sente apenas as carícias da alma
Que eu cultivo na positiva, na calma
Com sentimentos de gratidão e fervor.

Modesto

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O TEU OLHAR ME ENVOLVE























Já vejo O que procurei,
Ardo de amor por Jesus!
Já tenho O que desejei,
É Seu olhar que me seduz!

Ó Meu Dulcíssimo Jesus,
Ó esperança suspirante,
Por Teu caminho me conduz,
Clamo com fervor radiante!

Sê, Jesus a minh'alegria,
Sejas dono da minha mente!
Que sejas sempre o meu guia
E qu'eu seja boa semente!

Se visitas meu coração,
Envolvo-me na caridade
E reporto amor e pão,
Lev'ao irmão felicidade!

Modesto

ESCONDO-ME PARA O ENCONTRAR























Ó minh'alma, o que desejas e procuras
Fora de ti? Delícias, consolação?
É dentro de ti qu'encontras as tuas curas!
O que procuras está no teu coração!

Se Aquele que minh'alma ama 'stá em mim,
Porque, por mim, ainda não foi entendido?
É porque não me escondo pró ver em mim,
Eis a razão porque Ele 'stá escondido!

Quer'encontar Aquele que me tem amor
E vou procurar bem no meu interior,
Com sabedoria, vontade e razão.

Mais do que pode alcançar o meu sentido,
Se quero encontrar O qu'está escondido,
Tenho que crer e transformar-m'em oblação.

Modesto

JESUS




















És a riqueza e nasces entr'a palha,
És a justiça e morres como réu,
És a força sem reagir à maralha,
És a vida e entrega-l'ao Judeu!

Não tens pecado, mas Cruz de pecador
Pra resgatar a alma de quem Te quer,
És virtude, mas queres ser Sofredor,
És bondade, mas o mundo não Te quer!

Gostas da brisa do mar e belas flores,
Das auroras e das nuvens purpurinas,
Doa astros e seus imortais resplendores!

És a fonte das águas cristalinas,
Exemplo das Ovelhas e dos Pastores...
Por nós, na Cruz, Tua Cabeça inclinas!

Modesto

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

UMA NOVA HUMANIDADE




















Deus, destrói o egoísmo e o pecado
E oferec'aos homens um mundo novo!
Eu sei que nisto estás interessado:
Dar felicidade de vida ao Teu povo.

S'o Homem deixar os haveres do mundo,
Quiser que nasça nova humanidade,
Procurar caminhos de Amor profundo...
Tu dás-lhe paz, justiça, felicidade.

A boa aceitação dos Projectos Teus
Está na origem do "Reino de Deus",
Na incerção da nova Comunidade.

A conversão e o baptismo cristão
Dá ao comprometido a salvação,
Dinamismo d'uma nova humanidade.

Modesto

BRISA DE AMOR AO AMANHECER























Quando amanhecer e o sol raiar,
As flores vão embelezar meu jardim.
Seguro tua mão, respiras meu ar,
Teu amor sintoniza-se em mim.

Uma estrela falou e disse "amor"!
Eras tu que apertavas minha mão...
Como eu estou contente! Por favor,
Não hesites, afaga meu coração!

A brisa do amor ao amanhecer,
Quand'o sol raiar, eu sei como vai ser:
A brisa vai passar a ser furacão!

A estrela falou, pedindo amor,
As flores abrindo, espalham odor...
De mão na mão, aqueces meu coração.

Modesto

domingo, 26 de fevereiro de 2012

PRECISO DO TEU SORRISO























O teu sorriso é o que eu quero,
Os meus olhos brilham quando sorris,
Ele dá-me tudo o que de ti espero
E tu és pra mim o que sempre quis.

É com teu sorriso qu'eu me contento!
Nos teus lábios, o silêncio fala
Da felicidade que eu invento...
Mas coração pulsante que nem bala!

Do teu sorriso é que eu preciso,
Nestes momentos de dores reais
Qu'eu sei, sofres também e por demais!

É pra mim enlevo o teu sorriso,
Saudade que s'aninha nos umbrais
Do tempo, em qu'a saúde era mais!

Modesto

sábado, 25 de fevereiro de 2012

SUBLIME SOLICITUDE


















Sublime manifestação amorosa,
Tansformas a vida num grande amor
Tão subtil com'o perfume duma rosa
E os momentos de tristeza em fervor!

Quando há tristeza nos sonhos meus,
Transforma-la em flores da minh'alma,
Perfumas os dardos em suaves céus
E eu encontro alegria e calma!

Num arco íris, és a subtil presença,
Como Mãe protectora, terna, amorosa!
Estás presente no meu perder da crença,
Fazes-me ver qu'a vida é frutuosa!

Divina fonte d'água hidratada,
Cura da minh'alma, amor, esperança,
Sublime Trindade que me foi dada,
No meu baptismo, enquanto criança,

Faz do meu caminho constante exigência,
Já que sou um peregrino à procura...
Faz com que tenha sábia consciência
E encontre, no mundo, mais abertura!

Modesto

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

QUERER E AMAR


















Tiv'um sonho que não quero esquecer,
Um sonho que me fez logo despertar,
Nesse sonho pude então compreender
A dif'rença entre querer e amar.

Sentimentos difíceis de descobrir!
Devo olhar melhor pra dentro de mim
E contigo o meu sonho repartir,
Esclarecendo este sonho assim...

Não é uma simples casualidade
Nossa vida lado a lado percorrer,
Tentar compreender com suavidade
A dif'rença entre amar e querer.

És o amor que me traz felicidade
E isso só Deus o pode entender,
Sentes em ti a minha sinceridade,
A dif'rença entre amar e querer.

Da discussão nasce a luz, conclusão:
Amar = estimar, precisar, preferir,
Tudo desculpar, saber pedir perdão...
Querer = vontade, intenção, exigir...

Modesto

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

TOMAR A CRUZ DIA APÓS DIA

















O amor da Cruz do Senhor me atrai!
Que não seja um fogo inútil,
Mas um incêndio que consumir vai
Todo o mal que me pode tornar fútil!

Senhor Jesus, Meu Amor Crucificado,
Adoro-te em todas as Tuas penas!
Faz meu coração ao Teu igualado
Qu' as cruzes do meu corpo serão serenas.

Prometo pôr em Ti a minh'alegria,
Seguir o Tesouro qu'é a Tua Cruz:
No sofrimento do meu di'a dia,
Eu quero sofrer por Ti, meu bom Jesus.

'Stou convencido que me queres pra Ti,
P'lo caminho da cruz que m'ofereceste.
Desejo avançar por ele aqui,
Merecer a salvação que prometeste.

Isto traz-me grande paz interior:
Aceitar o sacrifício da cruz.
Dá-me coragem pra m'ofer'cer, Senhor,
Na minha pessoa com vida de luz.

Dá-me força e toda a paciência,
Para que eu saia do meu egoísmo:
Leve aos outros amor e consciência,
Para sermos bons até ao heroísmo!

Modesto

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CONFIO EM TI, SENHOR






















Quando a dúvida desordenada,
Como dardo, me fer'o coração,
Então chega a tristeza gelada...
Confio em Ti, estende-m' a mão!

Quando morrem as rosas do amor,
Açoitadas por forte vendaval,
Sei que se Tu quiseres, Meu Senhor,
Elas reviverão noutr'ideal.

Os cactos silvestres da minha vida
São espinhos cravados com furor,
Porque minha alma adormecida
Deixou de confiar em Ti, Senhor.

Sei que Tua presença... são amores!
Nada falt' ao ardente coração:
Frescura d'água clara, luz e flores,
No meu coração resplandecerão.

Quando ando pelos vales tenebrosos,
Desfeito em cansaço e pavor,
Sei que tenho Teus raios luminosos
Que enchem a alma de paz e amor.

Serás o Guia da minha andança
Pelos caminhos do mundo imundo.
Levo na minha alma a esperança,
Mesmo que caia num vale profundo.

Acompanhas-me no caminho recto,
Livras-me dos charcos e pantanal,
Confiarei em Ti sem pão nem tecto
Ou perdido num ermo matagal.

Modesto

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

SÓ EM TI POSSO CONFIAR























Quem me dera ter asas como a pomba
E poder voar e encontrar-me Contigo.
Sim! Iria para bem longe e, na sombra,
Viveria em deserto num abrigo!

Apressava-me em busca de refúgio
Contra o furacão e a tempestade...
Cá, só vejo discórdia e subterfúgio,
São poucos os que têm boa vontade!

Dia e noite reinam crime, intriga,
Mundo de violência e discórdia...
A fugir à realidade, m'obriga:
Só Contigo encontraria concórdia.

Confiaria a Ti os meus cuidados,
Já que serás sempre o meu sustentáculo!
Só Tu és bom e perdoas meus pecados,
Pra viver em Ti, remove este obstáculo!


Modesto

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

AMANHECER DE DISCRETA ALEGRIA


















Rasgam-se as nuvens num céu estrelado,
Fico extasiado a admirar!
O sol ainda está longe, calado,
Embebecido pla lua namorada!

Despertam as fadas do sono encantado,
Suas harpas de sonho fazem tocar!
O sol adormec'em sono deleitado!...
Um galo, ao longe, faz-me despertar.

Surge, então, um novo céu... a nevar:
Torna gélida mas linda a madrugada!
O sol mantém-se coberto a sonhar
Com estrelas e a lua sua amada.

Um passarinho voa a tiritar,
À espera do nascer do novo dia.
A relva, branquinha, parece chorar...
Mas o sol desperta! Traz nova alegria!

Nada perturba a beleza da flor,
A neve realça-lhe mais a candura!
Mostra-se mais bela, torna-se maior...
Eu alterno dor, êxtase... amrgura!.

Modesto

SONHO E FANTASIA














Se pelas nuvens teu coração flutua
E se do teu sonho coisa bela brota,
Vives entre as estrelas e a lua,
Vês a beleza, ainda que remota.

Se cada pensamento que de ti brota
Leva o timbre da mágica fortuna
E se o teu coração pra mim exporta
Serenidade... és praia, linda duna.

Meu sonho mantem-se em voo bem alto!
Teus pés tocam a terra só num salto,
Deixando minh'alma em melancolia.

Vejo-te presente, mesmo quand'ausente,
Sinto-te entre a multidão de gente...
Meu amor por ti, vive da fantasia!

Modesto

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O MUNDO É O JARDIM DA AVENTURA

















Um jardim florido é um'aventura
Onde não se pode encontrar tristeza.
Nele reina paz, alegria, ternura,
Encontro com a infinita beleza.

Neste jardim, encontras muitos caminhos,
Passeias entre as flores mais viçosas.
Se nele encontrares alguns espinhos,
Não t'assustes, sabes que também há rosas.

Que nele consigas sempre encontrar
Bons e afáveis momentos de ternura
Que te levem aos irmãos pra os amar.

Usa a paz, o amor e a ternura,
Vive feliz, mesmo que seja a sonhar,
Neste jardim florido da aventura.

Modesto

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

CAMPOS FLORIDOS




















Os campos floridos exuberantes
Despertam a imaginação:
São tantas as magias retumbantes
Que alegram a Bela Criação.

São paisagens da noss'existência...
A Mãe Natureza faz-se presente,
No profundo da nossa consciência
Que faz cantar hinos todo o crente.

São campos floridos do sonhador,
Disseminados p'lo agricultor
Que trata e adub'a bela flor.

D'auror'ao crepúsculo de sonhos,
Trata das flores, cultiva medronhos...
Campos floridos são o seu amor.

Modesto

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

POR VALES VERDEJANTES


















Nós somos fragmentos dos nossos sonhos,
A vida vibra ao ritmo sonhado...
Ligar passad'e presente, soponho
Que temos futuro assegurado.

Sonhei qu'um verde vale s'estendia,
Delicadament'entre belos montes,
Tão repousante e fresco que previa
Encontrar lá puras e frescas fontes.

Tinha árvores velhas e musguentas,
Verdura, muitas flores magestosas
E, pelo meio, silvados pungentes
Que faziam passagens perigosas.

Queri'abraçar o 'spaço imenso,
Rebolar pela bela Natureza,
Saltar, cantar... vaporizar incenço,
Brindar à verdejante beleza.

Estou integrado na Natureza
E dela sou a continuação:
Olho prá paisagem e que beleza!
Fic'a agrdecer em oração.

Os sonhos são encantos sem parar,
Levam-nos a viver intensamente,
São disponibilidade d'amar
A Naturez' ininterruptamente.

Modesto

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

ALIMENTO DA MINHA ALMA























Procuro o que buscam os olhos meus,
Entre os vales verdejantes do caminho,
Passeias em coloridos sonhos meus,
Por brilhantes paisagens de rosmaninho.

Nos vales passeiam meus sonhos candentes,
Entre bruma da tu'esfinge exuberante.
À noite, saio com estrelas luzentes,
Como um vaga-lume luxuriante.

Procuro alimento prá minha alma
E teu amor torna minha vida calma...
Quero ter-te assim todos os meus dias.

Quando me deito, dormes nos sonhos meus,
Bendigo teu amor nos olhos teus...
Com o teu terno corpo tu me sacias.

Modesto

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

BELEZA CAMPESTRE


















Eu vi um campo de flores
Coloridas e singelas  :
Falaram dos meus amores
E mostraram-m'as mais belas.

Dialoguei... e tão feliz
Com a agreste beleza,
Que outra coisa não fiz,
Que tratá-la por Alteza!

Eu vi beleza tão rara,
Quando o sol cintilava,
Que a julguei ser tão cara
Àquele qu'a cultivava!

Ao lado, passava o rio,
Um barco por ele abaixo.
Dei-lhe a flor com mais brio...
De uvas deram-m'um cacho!

A flor era amarela,
Com ar de tranquilidade...
Pra eles for'a a mais bela,
Sinal de boa amizade.

Mais par'cia a Primavera:
Tudo brincav'ao amor!
A vida era sincera,
Tudo davam sem favor!

E na beleza campestre
Tonalidade amarela,
Verdejava um cipreste,
Sombreando a terra bela!

Modesto

PRECE POÉTICA


















Eu gosto da poesia.
Sem ela, cores s'afastam,
A vida fica bem fria
Que corações não arrastam.
Sem ela o temp'é nada,
A alma fica sombria...
Perde-s'o rumo na 'strada.

Senhor, concedei-me calma
Pra ver vibrar a matéria!
Ritmai a minha alma
Com o pulsar da artéria
E puro ar respirar,
Voar p'la via etérea
E bons poemas doar.

Que eu tenha confiança,
Possa caminhar sem medo,
Despertando a lembrança
Dos meus sonhos em segredo
D'ânsias realizadas
E da real esperança
D'atingir coisas sonhadas.

Senhor, concede-m'a graça
Da minha vid'entregar
À Terra que me deu raça
E vontade de rimar...
Abri novo horizonte
Qu'a alma e amor me faça
Fazer da minha voz, ponte.

Modesto

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

O VALOR DO SOFRIMENTO























Estou rodeado de tribulações
Que submetem a minha fé à constância
E exercitam no bem as minhas acções...
Assim Deus me unja com Sua fragrância.

No sofrimento, peço sabedoria
Pró suportar com mais generosidade.
Recriminações são pra mim alegria,
Pois m'ajudam na procura da verdade.

Peço pra viver na fé, sem hesitar,
Assemelhando-me às ondas do mar
Que, p'lo vento agitadas, são constantes.

Quero, ao despontar do sol, ser ardor,
No crepúsculo, mergulhar no amor...
Que minhas acções sejam edificantes.

Modesto

SUBIR A ESCADARIA DA VIDA























Sou caminhante por árduos caminhos,
Subindo os degraus da vida com amor.
Às vezes custa, pois neles há espinhos,
Fazem doer e dão gotas de suor.

A minha alma faz-me resplandecer
Na subida do amor espiritual.
Na vida, iluminado pelo crer
Em Deus, vivo amor sobrenatural.

Mas nesta vida, não caminho sozinho:
Subo, levando o irmão com carinho,
Amparando e dando a minha mão.

Subindo o mais possível em concórdia,
Ajudado por Deus que é Misericórdia,
Na esperança da nossa salvação.

Modesto

domingo, 12 de fevereiro de 2012

BORBOLETA EM TARDE DE INVERNO


















Céu azul, tarde fria e melancólica,
Nuvens rendilhadas em paz e beleza,
Árvores despidas, sensação bucólica,
O tempo gelava ar e Natureza.

Nessa tarde fria, senti-me feliz,
A ver, no parque, brincar as criancinhas
Correr a trás dos pombos... e um petiz
Deu-me a beijar suas faces gorduchinhas.

O ar puro tonifica meus pulmões,
Esperança de saúde, sensações
Da felicidade plena alcançar.

Demorei a perceber a companhia,
Não sei como, nesse tempo, conseguia:
Uma borboleta, junto a mim, a voar!

Modesto

sábado, 11 de fevereiro de 2012

SONHO: PONTO CARDEAL

Sonho... gosto de sonhar!
Os sonhos são liberdade:
Deixo-me neles voar,
À procura da verdade.

E, se o tempo deixar
Uns momentos d'ansiedade,
A vida tem pra nos dar
Amor, paz, felicidade!

Deixo os sonhos fluir,
Vivo num lugar florido!
E deixo-me submergir
Num bom sonho colorido!

No sonho, desenho flores
E canteiros de jardim:
Inundo-me de odores
E... levo a vid'assim!

O sonho é desejar
Nunca me deixar vencer
E sempre concretizar,
Na vida, mais SER que ter.

Sonhar também faz sofrer!
Mas sofro com alegria:
Sofrimento faz viver
E renovar energia!

Amar, sonhar e sofrer
São os degraus de suporte
Para na vida vencer
E atingir o meu Norte!

Modesto














sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

VIA DOLOROSA


















É um calvário a vida a fazer rima,
Como são a tristeza dos meus pensamentos:
Escalar montanhas, ânsia que m'anima...
Est'ardor m'impele a grandes sofrimentos.

Esta ânsia, nad'existe qu'a exprima!
Eu fico quebrantado a cada momento,
Mas peço a Deu para chegar lá em cima,
Ond'a dor termina e cessa o tormento!

Mas... pra lá chegar, é preciso que eu carpa,
Soluce, gema, ensanguent'a escarpa...
Ver o Horizonte onde meus olhos ponho.

E... querer subir, levando sobr'os ombros
Este sofrimento, gemidos e... assombros,
É Cruz mais pesada e negra no meu sonho!

Modesto

SOFRER EM SEGREDO


















Sofrer assim, na beleza desta tarde
De Inverno tristonho e doloroso,
Embora o sol brilhe, mas já não arde,
A alma sente um peso poderoso.

Sofrer, ver crianças a brincar na rua,
Rezo uma prece ao Espírito Santo...
Ver rosto e mãos com palidez da lua,
Fico com olhar estrelado de pranto.

Olho em volta e vejo lindas flores,
A mansidão que desce no horizonte!
Lembro beijos da mãe e de meus amores,
Ouço a canção da água na fonte!

Sofrer... e levar a vida que arrefece...
E sentir a amargura desta dor...
E sonhar com o amor que me aquece...
Só cont'o meu segredo a uma flor!

Modesto
















                                                                                                                                           

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

SEM DÓ NEM PIEDADE























A vida faz doer o coração,
Mas doi-me mais no íntimo do ser.
Digo isto com toda a razão,
Porque quero poder andar e ver.

Quando o corpo é impertinência
Nos gestos, nos órgãos ... ou na visão,
Afecta-nos com toda a violência,
Deixando a alma em vexação.

No corpo, aparece todo o mal,
Como espinho, no ponto vital
E fica toldada tod'a beleza.

A alma procura abrir caminho,
Com tenacidade, tirar o 'spinho,
Pra suavizar a dor e tristeza.

Modesto

SUFOCO DA ALMA



















Engolido pela tristeza e dor
E pelo que não entendo mas sinto,
Ser solitário, seria favor
Que faria a mim mesmo... e não brinco!

Já quis ir embora, sem saber pra onde.
Já chorei com coração bem apertado.
Quis fugir para onde tudo se 'sconde,
Pra não fazer ninguém sofrer a meu lado.

Consumo-me em grande melancolia,
Com noites d'insónia e nostalgia,
Num vazio difícil de suportar.

Vivo dias d'alegrias aparentes,
Com sorrisos só pra mostrar os dentes,
Com alma e coração a sufocar.

Modesto

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

OLÁ, TRISTEZA!























Vem, ó tristeza! Novamente m'acalenta.
És meu socorro nos momentos d'aflição.
Por enquanto, meu coração 'ind'aguenta
E minh'alma encontra em ti seu bordão!

Já muitas vezes tua visita m'embala
E vens transformar-te no ritmo do meu pranto.
Por enquanto, a minha boca não tem fala,
Mas a alma encontra em ti seu encanto!

Já outrora me ajudaste a viver
E ensinaste-me o caminho da verdade.
Mas quando vinha, à noite, a luz me ver,
A alma encontrava sua claridade!

Só a poesia a vida me faz amar,
Abranda com veemência a minha dor!
E quando meus olhos não podem mais chorar,
A alma encontra nela escudo protector!

Na tristeza, a poesia me conforta,
Transforma em júbilo o meu sofrimento!
E, quando a 'strada da vida parece torta,
A alma encontra nela entendimento!

É a poesia que minh'alma consola,
Mitiga o meu sofrimento desta vida.
E, quando tudo ao meu redor se isola,
A alma encontra nela sua guarida!

A poesia é da alma a liberdade,
S'o corpo do sofrimento se libertar...
Minh'alma quer ter alento, capacidade,
Meu corpo só tem motivos para chorar.

Modesto

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

COLINAS DE SONHO

















Tenho uma casinha na colina
Linda! De lá, tudo posso ver.
No jardim, uma planta se inclina,
Ao dar conta do sonho do meu ser.

Tem flores que bordeiam minha rua,
Com borboletas de estimação...
De lá, posso ver o brilho da lua,
Quand'o sol dá lugar à 'scuridão.

Lá, vivo bem pertinho das estrelas,
Quase posso tocar-lhes com a mão!
Ao amanhecer, encanto-m'a vê-las,
Quand'as aves ensaiam a canção.

Ouço todos os sons da Natureza
Quando tudo canta com alegria.
O nascer do sol é uma beleza!
Também eu saúdo o novo dia.

Esta é a casa dos sonhos meus,
Já que na colina quero viver.
E todos os dias peço a Deus
Que m'enterrem lá, quando eu morrer.

Se eu não conseguir essa certeza,
Ninguém consegue tirar-ma da mente!...
Como eu amo Deus e Natureza,
Na colina vivo eternamente.

Modesto

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

MINHA CASA DA MONTANHA

Tem uma luz que gás nunca lhe falta
É como se nascesse lá nos céus,
Não deixa d'alumiar olhos meus,
Como névoa qu'a terra esmalta.
A casa é a que está mais alta,
Sobre a colina coberta com véus...
É o meu trono e eu só receio
Virar Marco Geodesico, feio.

E, nas colinas, eu vou procurando
Convencer a ir pra lá a minh'amada,
Com a herança que por Deus nos foi dada,
Quand'o Universo ia formando...
E cada dia ímos falando,
Que seria mulher afortunada...
E a beleza que Deus lá criou!
Mas ela a decisão não tomou.

Sei que pouca mais gente lá habita,
Por isso, maior era a noss'herança...
Mas ela encolhe os ombros e lança
A sentença que o seu pai lhe dita
E que neste poema não se cita,
Porque já não é de muita usança.
Mas eu não deixo d'influente ser
E ponho nisso tod'o meu poder.

Venci e levei a minh'escolhida!
D'essência o bálsamo lhe dei
E, lá, a minha casa perfumei,
Preparei a boda e bebida...
Pouco depois da criança nascida,
Com ela, em meus braços a tomei
E na colina de maior altura,
A mostrei aos céus pra que fosse pura.

O sol e a lua acharam graça.
Meus sogros uma casa edificavam.
Alegria que de lá projectavam,
Num poema como este não passa.
Era rica, nova, clara na traça
Como os engenheiros ensinavam!
Esta memória aqui vos trago,
Resumida, vera... um pouco vago...

A vida, lá, alegre e constante,
Vivíamos em pura natureza:
As paisagens eram uma beleza,
Nos problemas, sempre fomos avante,
Nosso rebanho era o bastante,
Do quintal tirávamos abasteza...
Convidávamos pra lá nossos pais,
Paz e harmonia são principais.

Modesto

domingo, 5 de fevereiro de 2012

É UMA QUESTÃO DE FÉ















Que sentido tem o sofrimento e dor
Que acompanham a caminhada p'la terra?
Dramas marcam a existência da dor:
Questões fundamentais que andam na berra.

O Projecto de Deus é de felicidade,
Vida verdadeira que nos leva a um fim.
Amargura, desilusão... são verdade
N'indiferença,desespero... vida assim!...

Apesar disso, Deus dá-nos a esperança
Duma possibilidade de salvação,
Tem afeição aos filhos, dá-lhes confiança,
Liberta-os da opressão, sem exclusão.

Fazer penitência e testemunhar
Que Jesus é Deus e que é a nossa Luz,
Arrepender-se, levar irmãos a amar,
São condições pra sermos salvos por Jesus.

Amar a Deus ultrapass' a inteligência,
Compreendê-Lo, só p'lo Espírito Santo...
Elevar a alma a Deus na existência
É difícil compreender, por enquanto.

É no nosso interior com oração
Qu' está a Verdade que liberta do mal.
Oferecer a Deus a noss' imperfeição
E amar os irmãos é o essencial.

Modesto

GOTAS DE AMOR























Neste meu poema fica escrito
Que o meu coração se entregara
Ao teu que se mostrava tão bonito
Com gotas d'amor que m'enlevara.

Por isso, minh'alma te elegeu
Para vivermos o sonho presente.
Se algum dia parece ser breu,
Ele passa, m'arrependerei sempre.

Lágrimas são gotas d'amor sincero
Qu'aprecio desde o nascer d'aurora.
Mas, voltar a vê-las nunca mais quero,
Porque todo o meu ser te adora.

Gotas de amor são os teus suspiros
Que unem a tua à minha alma.
E... porque temos os mesmos retiros,
Com gotas d'amor, mantemos a calma.

Enquanto nossos corações voarem
Pelo ares da nossa dignidade
E todas as gotas d'amor somarem
Gestos d´ amor, temos felicidade.

Modesto

sábado, 4 de fevereiro de 2012

DUALIDADE NO GOVERNO DA HUMANIDADE























O caminho da vida é liberdade.
Eu gosto mais do caminho da beleza.
O primeiro, produz mais desigualdade...
O segundo, ao menos, não traz pobreza.

Criamos o tempo da velocidade,
Mas nela nos sentimos enclausurados.
Temos abundância e... maldade
Que leva à penúria os mal amados.

Há muitos cépticos com inteligência
Que são bem empedernidos e cruéis,
Pensam muito mas com pouca exigência,
Ao ponto de incriminar seus fiéis.

Máquinas governam a humanidade,
Elas substituem a inteligência
E, se não for cumprida a sua vontade,
A vida é envolvid' em violência.

A 'scolha 'stá no caminho da beleza:
Combina com ternura e afeição,
São virtudes que nos trazem mais leveza
E nos podem governar com coração.

A vida é um caminhar na verdade,
Acreditar que o mundo vai mudar,
Abrir as portas ao amor e bondade...
Querer um futuro a sorrir e a amar.

Modesto

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

ENTÃO, AMIGO, COMO VAIS?














Nada é mais importante que a vida
E nada substitui a boa amizade,
Mesmo quando o amanhecer convida
A deixar ir a "estrela" da saudade.

Há horas que pensamos:«Nada mais existe»!
Ao descobrirmos quem é maravilhoso
E está dentro de nós e que persiste:
O Amigo importante e poderoso...

Então, vemos ressurgir a esperança
De ter amigos fieis com'a balança
E que de nós nunca se vão esquecer.

Nunca nos esqueçamos de ser feliz,
Olharmos dentro de nós, como quem diz:
Deixa a felicidade acontecer!

Modesto

VIVER A VIDA COM CONSCIÊNCIA


                        
                                                        Na vida já venci muitas etapas,
                                                        Muitas lutas que outros não venceram,
                                                        Muitos copiaram das minha pastas
                                                        Trabalhos, saberes... que não leram.

                                                        Agora, refolgo a vida toda:
                                                        Metanoia e falta alternada.
                                                        Gozo do prazer duma boa boda,
                                                        Mas, de tudo, como pouco nada.

                                                        E é assim a vida neste mundo,
                                                        A procurar viver cada segundo,
                                                        Pois tudo depende da consciência.

                                                        Amar as pessoas com empatia,
                                                        Agradecer a Deus por cada dia,
                                                        Viver com afinco a ambiência.

                                                        Modesto

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

ESTRELAS E LUAR NA MADRUGADA

Ainda é madrugada,
Bela, silenciosa.
Lua bem iluminada.
Mas hoje é curiosa...

Olho par'o céu e penso,
Não sei se 'stou sonhando
E est'é um sonho tenso:
A lua está chorando!

Desejo profundamente
No sonho desapar'cer|
Será sonho inocente
Por estar amanhecer?


Queria poder voar,
Pousar na cratera dela,
Sua tristeza encontrar
E contar a uma'strela.

Lá, os três conversaríamos,
íamos aproveitando:
Saber que mundo teríamos
E se ele está amando.

Mas isto é só sonhar,
'star na lua e nas estrelas...
Até as ondas do mar
Ficam chorando a vê-las!

Chora a lua, chora o mar,
Por este mund'egoísta!
E, só se for a sonhar,
Se vê o mundo altruísta!

Modesto















PELO ESPAÇO A NAVEGAR
















Viajante cansado, frio, desolado,
Entrei no meu barco e repousei da dor.
Procurei refúgio, me vi amparado,
Pelo suave aconchego do teu amor.

Pelos furos do telhado, via as estrelas
Maravilhosas, impossíveis de contar.
Nelas, o meu barco estendeu suas velas
E lá fui pelo espaço a navegar.

Entrei nas fortes e remoinhas correntes,
Voando, à procura de qualquer cais,
Puxando o meu leme com unhas e dentes...
Quis ficar ali, sem voltar nunca mais.

Mas, procurei, pelo céu, com tod'o furor,
Encontrand'um cais e nele quis entrar,
Quando te vi, corpo esbelto, bela flor,
Meu coração logo pediu pra m'amparar.

Aquele rico cais mitigou minha dor,
Fiquei feliz de pelo céu ir navegar:
Recebi os melhores abraços d'amor...
No 'spaço 'strelado, ficámos a morar!

Modesto

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A NEVE E A FLOR


















A tarde era triste, a neve caía
Nem ave voava, nada de rumor...
E o branco manto os campos cobria,
Deixando descoberta só uma flor.

Caía a neve, pálida, mas bela!
Tudo cobria, menos a bela flor.
Eu extasio-me a ver, à janela...
Penso que a neve também tem amor.

E ouço os flocos com a flor falar:
Se não sentia frio, lhe perguntar,
Sentia a neve cobrir-lh'a raiz?...

- A raiz nada sente, diss'a flor calma,
O frio que eu sinto vem dum sem alma
Que me vai cortar...Não me quer ver feliz!

Modesto

AMO-TE COMO SEI























Amo-te como a planta que não floriu,
Mesmo tendo dentro de si a luz da flor
E, graças ao teu amor, ela não fugiu
Porque guarda em si teu grato amor.

Amo-te como o aroma duma rosa
Que sobe da terra e s'expande no ar.
Amo-te como se fosse planta mimosa,
Porque não sei doutra maneira amar.

Amo-te sem problemas e com orgulho
E na tua generosidade mergulho,
Quando me falas com tua voz meiguinha.

Amo-te junto aos teus olhos já com sono,
Vibro no teu corpo qu'admiro e adorno...
Quando pões tua mão no meu peito, és minha.

Modesto

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...