domingo, 12 de fevereiro de 2012

BORBOLETA EM TARDE DE INVERNO


















Céu azul, tarde fria e melancólica,
Nuvens rendilhadas em paz e beleza,
Árvores despidas, sensação bucólica,
O tempo gelava ar e Natureza.

Nessa tarde fria, senti-me feliz,
A ver, no parque, brincar as criancinhas
Correr a trás dos pombos... e um petiz
Deu-me a beijar suas faces gorduchinhas.

O ar puro tonifica meus pulmões,
Esperança de saúde, sensações
Da felicidade plena alcançar.

Demorei a perceber a companhia,
Não sei como, nesse tempo, conseguia:
Uma borboleta, junto a mim, a voar!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...