Follow by Email

sexta-feira, 3 de março de 2017

DIA TORMENTOSO

















Na confusão do mais horrendo dia,
Painel da noite, tempestade brava,
Terra, água... o ser se confundia,
Fogo, ar... o ser se embaraçava.

Brama mar, vento embravecia,
Da noite o dia s' equivocava,
Terra abanava, estremecia
Com 'strondos horríveis que assombrava.

Todos fugiam para seus apriscos
E dos altos e côncavos rochedos,
Houve temor nas nuvens e penedos...

O céu dava ameaças e riscos,
Relâmpagos, trovões, raios, coriscos...
Com assombros, com pasmos e com medos.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário