sexta-feira, 13 de julho de 2012

SINTO...


















Sinto a poesia do entardecer,
A nostalgia de uma garça pousada
À beira dum lago onde irá beber,
Esperando o parceiro, bem ansiada.

Sinto a emoção do nascer do luar
A estender suas résteas prateadas
Pelo telhado, árvores, rio... lugar,
Trazendo as saudades de noites passadas.

Sinto as majestosas e altas montanhas
Erguidas para o céu tão silenciosas
E em espirais decorações graciosas.

Sinto a vida em plenitude qu'apanha
O poder infinito da mente bondosa,
O amor que se vive em tarde ociosa!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...