sábado, 21 de julho de 2012

NÃO QUERIA SONHAR ASSIM!...


















Quando ainda era criança,
Sonhei com um mar plano
E uma infinita terra
Que meus olhos não alcançavam.
Vi a queda do ser humano
Que tinha perdido a razão
Da sua própria existência
e que profundamente aterra
No planetário coração
Da sua divina essência.

Pensei, ainda na minha infância:
Pronto - como o homem era -
Assim visto à distância...
Não cairá mais uma ave  nem uma flor,
Não haverá mais pranto,
Nem guerra...
Só amor
e o doce e suave odor
Duma jovem Primavera.

Mas logo me disse o Sol,
No seu imortal caminho:
Serás tentado nas tardes de arrebol
E saberás como foi sempre
O terreno destino:
Uma humanidade perdida
Que apagará a vida
E sujará para sempre
A eterna palavra "AMOR".

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AOS RAIOS DO LUAR

Nos belos raios do luar, floria Rosa ideal, resplendor d' Halade! Erravam fluídos de harmonia Pela etérea, branca cla...