sexta-feira, 8 de novembro de 2013

ROSA VERMELHA



















Queria ouvir uma canção amena
Acompanhada da água corrente
Que destila da mágoa toda pena
Que um grande amor ingénuo sente.

Queria escutar a cítara de alfena,
Arco curvo como tua alm'ardente
Que me faz doer numa paixão extrema
Como rosa vermelha do oriente.

O amor que ao princípio me fez
Com qu'os olhos se espelhassem nos teus,
Durou doces horas tão deliciosas!

Queria que me fosse dado uma vez
Repousar no teu corpo como um Zeus
Numa mortalha de pétalas de rosas!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...