domingo, 10 de novembro de 2013

ESPAÇO DE DELÍRIOS
























A minha visão do mundo
É a mesma que tu sonhas:
sem correrias medonhas,
Nem egoísmo profundo.

Disto nunca mais nos toca!
O sistema do planeta:
Cada um com sua treta
E viver a vida oca!

Competição e consumo,
Seja adulto ou criança,
Já não tem mais esperança...
Assim, não muda de rumo!

Lágrimas sem sentimento
E mágoas soluçantes...
Não há vida como dantes!
Só actos incongruentes.

Venha o sol iluminar
A dispersa multidão,
Lacaios em pelotão...
Se volte pró verb'amar!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...