Follow by Email

terça-feira, 5 de novembro de 2013

AMOR QUE LIBERTA
























Ó grandioso amor de que padeço
E que conta mistérios sobre mim!
Ó enigma, princípio sem começo,
Destino que começa e não tem fim!

Mas é um amor que dói, amor avesso
Que em mim se exaure e me faz assim,
Levando-me a viver pra quem mais mereço,
Na volúpia de crer que é amor afim.

Flor de lótus e beijos consagrados
Nos desígnios dos bem-aventurados
Com alma pronta na vida já completa.

É do céu que me vem este dom divino
E de viver no mundo o meu destino,
O carisma do amor que me liberta!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário