quarta-feira, 27 de novembro de 2013

POEMAS DO DIA DE ONTEM
















Nos meus versos tão versáteis,
Já falei de "amanhecer".
Extremei meu sentimento,
Escrevi "anoitecer".
São fenómenos saudáveis
Qu' assumem ao pensamento.

O silêncio da folhagem
Lembrou o amor antigo,
Transportou-o em viagem
E mexeu mesmo comigo!
E à sombra da paisagem,
Palavras dão-lhe sentido,
Murmurando na aragem:
Entardecer! Colh' abrigo.

Cores que recebem luz,
Tomam do sol no poente,
Qu' extremamente reluz
E o dia fic' ausente,
Recolhe no seu vagar
O fulgor que pode dar.

O dia volta a nascer
'inda azulado verde
E ninguém quer parecer
Qu' assim a noite se perde.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SONETO BEM CRIADO

Nestas linhas mal traçadas, Há um soneto partido E mágoas anunciadas: Ouve-se long' o gemido. Nas linhas, há al...