sábado, 16 de novembro de 2013

E ASSIM VAMOS
























No ar leve há perfume de rosas,
Na minha voz solidão sufocada,
Há um tremor na tua voz cansada...
Mas horizontes e manhãs luminosas!

Promessas de amor nas madrugadas,
Como s' a vida toda resumisse
Só em dizer "amor" e se sumisse
Com mágoas, dores indesejadas!

Mas nós aqui, vivemos e amamos
A pedir do infinito possível
Piedoso abandono visível.

O presente é ponto de chegada
Entre um começo e outro, há nada,
Excepto o viver a que aspiramos.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

UM PAR DE ASAS

Se eu fosse águia ou cotovia Com liberdade plena à minha mão, De voar segundo a minha fantasia, De abrir as asas e ...