segunda-feira, 18 de novembro de 2013

À PROCURA DAS ESTRELAS
























Faz frio! Eu vou buscar agasalho.
Oh! Lágrimas... Eu luto por vencê-las...
Vou na estrada, minha mágoa espalho.
De olhos abertos, procuro estrelas.

As flores já choram lágrimas d' orvalho,
Trémulos, vivas... mas não consigo vê-las
Porqu' as folhas balançam em cada galho
E toda a Criação chora p'las estrelas.

Sigo tristonho... Baila pelo espaço
Um lamento por aquelas que ficaram
Sem o amor, sequer, para entendê-las.

Fica a minha dor por onde eu passo...
Olho o céu... As mágoas debandaram
Com o 'splendor brilhante das estrelas!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...