segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

A LUZ DO TEU OLHAR










Ao ver a luz dos teus olhos, querida,
Se pões teu olhar docemente em mim,
Sei qu' eles iluminam minha vida!
A luz desse olhar que vejo, querida,
O sol de verão não brilha assim!

Do teu olhar tod' o amor refulge
E que doçura tão meiga, sem fim!
Tua alma à flor dos olhos surge
Do amor, todo o clarão refulge,
Nem o luar é tão suave assim!

Teus olhos são dois astros fulgurantes,
Deixam que sua luz passe pra mim!
Tanto agora, como era dantes,
O valor dos teus olhos rutilantes
Têm amor qu' eu quero sempr' assim!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...