Follow by Email

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A CORRERIA DO TEMPO

















Olha o tempo perdido sem juízo,
Evaporando-se em nuvens e água!
Vê aquele olhar, aquele sorriso,
Aquele rosto que só nos trouxe mágoa!

Anda ver o tempo: corre sem cessar!
Ele abre flores, mas fecha-nos os olhos...
Passa por nós no silêncio d' andar,
Furta corações, põe o rosto aos folhos!

Ouve o compasso do tempo que pisas,
Com o coração, pensamento e sonhos!
Sente rios de tempo de que precisas,
Pra arrancar de ti pavores medonhos!

Vem, senta-te pertinho da minha alma,
Vê o crepúsculo!... Parece que arde!
Vamos opor-nos ao tempo com a calma
E a doçura de sermos dois, na tarde!

Modesto




Sem comentários:

Enviar um comentário