terça-feira, 3 de janeiro de 2017

VISITA A BELÉM

















Ouvi dizer Belém! E um inseguro
Empurrão me arrastou, por um momento.
Como um cego, palpei aquele muro:
Quase sem respirar, estava lento!

Por um chifre rocei, súbito e duro:
Eu fiquei pasmo e ele violento!
Pessoas alegres, lá pelo escuro,
Cantavam umas, outras em movimento.

Senti um doce medo, mas distraído,
Resvalei na palha... Já tinha nascido
O Menino que toquei - tanto queria!

Pasmei ao vê-Lo, por achar tão querido!!
Senti-me renascer, perant' o Nascido:
Era o Menino Deus que me sorria!

Modesto



Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...