quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

FLORES DO AMOR

























Vem, amor eterno, anda cá ver
Esta bela flor tangida plo vento.
Traz o amor no som do pensamento
Que soe n' alma de quem o quer ter.

Florais, à brisa da tarde, quem vê?
Nem um ramo de beijos ao relento,
Enfeitiçado d' amor, flor do tempo!...
Vem, não precisas dizer porquê.

São flores pra se ver tão docemente,
Tão parecido, tão leve presente,
Que nós nem precisamos perceber.

Basta o nosso amor desta vida
Saber, amor eterno resumida
Na alma da flor ao alvorecer!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

O CÉPTICO TAMBÉM PENSA...

Deus há muito desceu no Ocidente, Lá, por trás dos montes de rosa tingidos... Vejo o mundo que ante mim s' estende ...