sábado, 22 de março de 2014

MÁGICO ENTARDECER

















O crepúsculo que vemos,
Esse poema aéreo
É com' um sonho que temos
No íntimo... É um mistério!

Esses raios flutuantes
Dos coloridos que temos,
Nunca são cores constantes
Aquelas nuvens que vemos!

Em breve vêm estrelas
À procura... quem o sabe?
De terras inda mais belas?
Crepúsculo, não acabe!

Nest' horizonte tão belo,
Olhando, damos um grito
D' alegria e anelo
Qu' ecoa p'lo infinito!

Ver-te nunca dá cansaço!
É grand' a tua virtude:
Vais colorind' o espaço,
És sonho de juventude!

Modesto

2 comentários:

  1. Eu não consigo lê-lo sem partilhar das suas emoções!!!
    Os anos passam, os poemas sucedem-se, a magia expande-se...o talento cresce!!! A sua poesia tem cor, tem beleza, tem silêncio, tem sentimento, tem mistério, tem sonho, tem alma que se identifica com a de cada leitor!!! Bem-haja, Modesto!

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pelo seu comentário que me deixa enaltecido!
    Continuo muito grato pela sua amizade, mas sinto que exagerou um bocadinho!
    Bem-haja a Raiana que me compreende!

    ResponderEliminar

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...