LÂNGUIDO AMANHECER


















Despont' aurora d'alva, é madrugada!
Voam p'las árvores ligeiros cantores,
Murmuram lânguidas queixas da noitada:
A brisa soprou fria, fez suas dores!

Grande é a solidão qu'a manhã traz!
Voam passarinhos de várias cores,
Ao som dos cânticos que cada um faz...
Soluça o pisco por não ter amores!

Tudo é luz e esplendor que s' esfuma:
Vão carícias d' aurora... Céu tristonho...
Ficam flores e o jardim se perfuma!

Então, minh'alma s' alegra, tem um sonho:
Viver olhand' o campo, rio, espuma...
Oh! Mundo encantado, tu és risonho!

Modesto

Comentários

Mensagens populares deste blogue

NASCESTE, FILIPA !

A VIDA TEM OUTRO SABOR

SALVEMOS O PLANETA