Follow by Email

terça-feira, 18 de março de 2014

CASA DOS SONHOS


















Fiz uma casa dos sonhos
Com duas portas viradas
Prós canteiros do jardim.
Havia dias medonho!...
De cada um fiz meus sonhos
E... fui vivendo assim!

As borboletas em dança,
Junt' às rosas do jardim,
Traziam-m'a esperança
de viver quase sem nada,
Minha vida inventada...
Do nada, fiquei assim:

Alma nua penitente,
Com a calma doutra era!
Memórias dum jardim
E sonhos de Primavera,
Convivia co' a quimera...
Montanhas ao pé de mim!

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário