terça-feira, 20 de setembro de 2016

"TEMPUS FUGIT"















Mais uma vez o tempo me assusta.
Passa apressado pelo meu dia.
Eu envelheço e o tempo bufa
A disputar lugar à ventania.

Devia haver algum decreto
Qu' obrigass' o tempo ir devagar.
Assim respeitava o meu projecto
E aos dia eu faria parar.

É que meus versos vão-se empilhando
E as saudades vêm com sentido...
E s' os meu poemas eu vou guardando,
Na verdade, eu fico esquecido.

Se redijo a página final,
Percebo o caminho percorrido.
O tempo com a pressa desleal...
Agradeço a Deus por ter vivido.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...