sábado, 24 de setembro de 2016

O ANOITECER NO PARQUE

















Vejo no parqu' o ocaso
Com sugestões de pintura,
Vem a sombra e alvura
Dos cisnes no lago raso.

O velho jardim de luxo,
Como vaso de aromas,
Harmonias, policromas...
Sob' água do repuxo.

A tarde cai dos espaços,
Flores caem ao pedaços
Pelo vento num arranco.

E á noite no jardim!
Os cisnes cantam assim:
O luar é cisne branco.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...