quarta-feira, 14 de setembro de 2016

A VIDA DO NOSSO MUNDO

















Martírios do quotidiano selvagem
Cravado na nossa alma e no presente,
Com medo reflectido por uma imagem,
Dum amanhã que não se sabe s' é ausente.

Há sorrisos pálidos que são só miragens,
Esperança no futuro está distante!
Há grande dor nos olhar refém da paisagem
Que prende o fictício cada instante!

Tudo coberto pelo disfarce do manto,
Com ilusões do nosso ver e do espanto
Tardio em duração que foi de engano.

São realidades escondidas em vão,
Conhecêmo-las e choramos d' emoção
Pelo destino, o fim... que não é humano.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...