sexta-feira, 2 de setembro de 2016

SE EU PUDESSE




















Se eu pudesse, a vida seria sonho,
Nossa existência, júbilo perene,
Pois empenharia a luz do céu risonho,
Nada de ruim qu' o espírito envenene.

Não haveria nunca um adeus solene,
Vingança, maldade... ódio medonho,
A sede, a fome da cobiça inferne
Tão grande mal que no meio me interponho!

Eu exterminaria a enfermidade,
Como todas as dores da senilidade,
O sofrimento acabaria de vez.

A Criação inteira melhor viveria!
Mas isto: Se Deus deixasse, eu deixaria
Exactamente a pessoa que tu és!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...