sexta-feira, 23 de setembro de 2016

AOS AMIGOS
























No meu peito há um lugar, doc' abrigo,
Onde hospedo nobres sentimentos,
Onde não é só quem está comigo...
E não há pranto nem tristes lamentos.

Aqui, tenho a vida em fragmentos,
A explosão dos átomos sem perigo,
Falo bem, espalho aos quatro ventos,
No meu peito hasteio o meu amigo.

Meu lugar é coluna de bem querer
E onde o sol reluz ao alvorecer,
Porta sem trinco prá sinceridade.

Fechado neta nave que dirijo
Plo inexpugnável esconderijo,
Para onde levo a amizade.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

DELÍRIO AO PIANO

A tecla, mais doce que um carinho Do meu piano ebúrnio, soluçava. Era como ouvir um sol mansinho, Em cada nota que ne...