quinta-feira, 10 de novembro de 2016

CALMANTE CREPÚSCULO

























O crepúsculo cai plos campos calmamente,
Como semente que germin' em terra farta,
Como sorriso que s' expande mansamente,
Como o céu qu' ilumina a barca sarta.

Meus olhos ficam em êxtase e declamam
Para o céu orações perenes em preces.
Vejo o olhar pró sol lilás dos qu' amam
E os seus raios resplandecem minhas vestes.

Nada terá força pra me tirar dali.
Nem os ventos dos mares chegarão ali...
O rebolar das ondas sobem par' os ares.

Sem medo das tormentas alargo meus braços,
Vejo um lindo brilho cobrir os espaços,
Naqueles crepusculares dos meus pesares.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...