quinta-feira, 17 de novembro de 2016

AMOR NUM SONETO




















Ó poesia, dá-m' amor neste momento,
Dá-me o riso, não o fel da nostalgia,
Mostra no verso o brio de meu talento,
Quem fez a rima, fez também a melodia.

Guarda o amor bem dentro da poesia,
A poesia dentro do meu pensamento.
A dor do amor não resist' à alegria,
Desfalece sempre com seu deslumbramento!

Vai poesia, só te resta um terceto.
Revela-te em grande a quem te escreve
Com letras d' ouro caídas sobre a neve...

Quem gosta de amar, gosta do soneto.
Oh! perdoa-me se insisto neste tema,
Mas o amor eterniza-se num poema!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTO DE COISAS SINGELAS

Gosto de coisas singelas: Arco-íris, suas cores, Bris' a bater nas janelas E dum ramo de flores. E da chu...