quinta-feira, 3 de novembro de 2016

SAIR SEM DESTINO


















Hoje apetece-m' ir por aí fora,
Sem saber para onde, ao Deus - dará,
Procurando nem eu sei o que será,
Mas de que sinto falta, aqui, agora.

Alguém me chama e quase implora.
Corro ou caminho, até chegar lá...
Eu nem pergunto o que m' esperará,
No fim desta corrida, estrada fora.

Prossigo meu impulso inconsciente
De não olhar prós lados nem para trás,
Pois nunca me agradou retroceder.

Então, vou andando, corajosamente,
Devagar ou depressa, tanto me faz...
Ânsia imprevisível de viver.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...