Follow by Email

sábado, 26 de novembro de 2016

AO ESPELHO



















Sou eu um vulto na minha frente
A olhar numa visão exata
Que nunca viu o meu inconsciente
E vive em mim já há longa data?

É da minha vista ou minha mente
Esse outro eu que bem me retrata
De cara clara, pele rescendente...
Por dentro é ouro, por fora lata?

Ao olharmo-nos no mesmo momento,
Ao movermo-nos num só movimento,
Vejo-me outro eu, fora de mim!

Vou deixar que me dê o seu conselho:
- Vamos ser um só dentro do espelho.
- Mas... pra onde vou? Não cheguei ao fim!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário