segunda-feira, 10 de outubro de 2016

TEMPOS DE SONHO E POESIA

























Vejo como e quando escrevi meus versos,
Quando procuro o caminho dos meus sonhos.
Observo os pequenos segredos submersos
Na alma, encostada aos tempos risonhos.

E já encontrei vários sonhos dispersos
E alguns deles até eram bem tristonhos,
Mas alguns perderam-se em tempos adversos...
Foram anos encantados, dias de sonhos.

Havia estrelas nos céus dos devaneios,
Veredas da poesia eram os meios
Entre encantos de amor, também de penas.

E hoje relembro os versos desses dias,
Flores d' amor que me deram e poesias:
Tudo coisas que compõem os meus poemas.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...