sexta-feira, 28 de outubro de 2016

CREPÚSCULOS COM MÚSICA













Com som do órgão vi chegar a noite.
A brisa fria batia-me no rosto.
Olho pla janela, vejo o sol posto,
Mas o vento batia com’ um açoite.

Vem o dia, vê-s’ o sol no horizonte:
Tudo aqueceu… coração s’ alegrou
 E no jardim, mais uma rosa brotou
Ao amanhecer com a água da fonte.

Desço ao jardim e colho uma flor
Para meu maravilhoso tocador
Que da madrugada toca seu clarim.

Os ventos aplaudem, ficam a ouvir:
A música nasceu para nos servir…
Vou tocar órgão, a música sem fim.


Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...