domingo, 29 de março de 2015

TERRAS DE BENVIVER















Ó Terra minha que ao Marco deste
A ventura de ver tanta beleza!
Ded' o xisto que fez solo agreste,
Ao granito que expele riqueza!

O Douro abraça castos vinhedos
Que crescem nas margens em seus choupais,
E leva sonhos, mas deixa segredos
Da vida daqueles pobres rurais!

Fragas cobertas de musgo flor d' ouro,
Águas mansas do belo rio Douro
Respiram perfume dos laranjais!

Montes protectores e altaneiros,
Casas de granito nos teus outeiros...
Mais parecem uns arranjos florais!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

UM PAR DE ASAS

Se eu fosse águia ou cotovia Com liberdade plena à minha mão, De voar segundo a minha fantasia, De abrir as asas e ...