sábado, 28 de março de 2015

MARCO, TERRA IDEAL

























Com' um pássaro a abrir horizontes,
Asas quisera, pra na serra voar,
Observar, além dos píncaros dos montes
Da minha terra que sempre quis amar.

Terra bela ond' a aurora s' estende,
Com seus crepúsculos cheios de fulgor,
Sobre colinas em flor em que esplende
Na água pura entre margens em flor.

Lá, no limiar da minh' adolescência,
Entre sombras, o futuro entrevi
A Primavera em plena florescência...
Um horizonte qu' ainda me sorri!

E é para lá qu' estendo os meus braços,
Pra lá, se lança, atraído, meu ser.
Vejo as serras como belos espaços
Sempr' a fugir e minh'alma a correr!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...