sexta-feira, 20 de março de 2015

AO ENTARDECER
















Faz-se silêncio na folhagem!
As árvores tecem amor antigo...
Num sobressalto, paro a viagem
E fico a falar a sós comigo.

Meu coração s' assombra da paisagem
E chama o vento noutro sentido.
Um murmúrio ouve-se n' aragem,
O entardecer recolh' ao abrigo.

Com a aragem aparece a luz!
Meu coração estremece, reduz
A saudade de quem sent' ausente.

Acolhe o silêncio devagar...
Um dia de fulgor lhe pode dar
O amor que se vai no sol poente!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCANSO DUM SONHADOR

A cabeça pendida docemente Em sonhos do sonhador inquieto: É o sonho o seu bordão clemente E repousa num descanso discr...