quarta-feira, 4 de março de 2015

SOU TEMPO PERDIDO


















Sou rio abandonado,
No seu leito esquecido,
Sou um lago espelhado,
Águas ao céu reflectido.

Sou o tempo desfolhado,
Aquele que foi perdido
No sonho esfarrapado,
Num horizonte sofrido.

Sou como ar destinado
A um pássaro ferido:
Rouxinol enamorado!

Coração crepuscular
Com vontade de voar...
Mas p'lo vento arrastado!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...