domingo, 12 de julho de 2015

JOVENS DA MINHA TERRA

















Ó jovens da minha terra,
Aprendei o qu' é amar.
Formai grupo contra guerra,
Sabei como partilhar.

Não andeis sós pela rua...
Tendes casa pra morar.
Em casa tudo actua
Par' o bem familiar.

Com responsabilidade,
Unidos no ajudar,
Todos vós tereis vontade
D' altruísmo praticar.

Vós não sois donos de nada
E crescereis de repente...
Correi todos de mão dada
Ajudar o indigente.

Sois o futuro da vida,
Afortunados na sorte.
Se viverdes pura vida,
Encontrareis vosso Norte.

Cultivai a amizade
Pra deixar a solidão.
Vossos actos de bondade
Trar-vos-hão grand' emoção.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...