Follow by Email

domingo, 25 de maio de 2014

VIVA O SONETO


















Soneto, falam mal de ti os perversos,
Não sabem que dentro de ti só há graça!
Tu és feito com os teu quatorze versos
E eu quero erguer-te a minha taça!

Tens sonhos de amor em ti imersos,
És a expressão sentimental da raça
De poetas que vivem fazendo versos:
Tens em ti dor, amor, saudade e graça!

Teu lirismo é nostálgica tristeza
Com saudade nas tabernas e vielas
Que, na gente portuguesa, alguém verteu!

E, com a nossa guitarra portuguesa,
Gemendo sua saudade às janelas...
Foi dum grand' amor qu' o soneto nasceu!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário