Follow by Email

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

NÃO ANOITEÇA

















Eu vou morrer com lágrimas de encanto,
Não que toda a minha dor tenha cessado,
Mas quando toda a minha pena for pranto
E meu amor um canto inacabado!

Às vezes cruzo-me com o desencanto,
Também sonho que já fui posto de lado...
Sim! Mas é do choro que se faz o canto,
Quando tudo 'stiver pronto, terminado!

Eu já esqueci todos os pesadelos,
E já tenho fios brancos nos cabelos,
Que já são poucos no meio da cabeça!

Eu neles vejo os sonhos docemente,
Gosto de ver mover-se o sol poente:
A beleza que não quer que anoiteça!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário