terça-feira, 1 de outubro de 2013

CRIANÇAS ESQUECIDAS

















Rogo a Deus pelas crianças esquecidas
Que sempre foram "caso" e nunca o tema:
Crianças sem o amor das mães pertencidas
E nunca seu nome lembrado num poema.

Penso nas crianças nunca compreendidas,
As que sofrem sozinhas, delas tenho pena.
Das crianças que choram porque suas vidas
São extremos entre fome e dor suprema.

Deus se apraza das crianças sem história
Que vivem sem sonhos e não deixam memória,
Ou sonhos d' ilusões da vida desfasados.

Rogo a Deus amor de dias complacentes,
Já porque todas as crianças são nascentes
Dos milagres d'amor de que foram gerados.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...