quarta-feira, 2 de outubro de 2013

FOSTE EMBORA
























Tu passaste por mim indiferente!
Foste embora sem te aperceber
Qu'estava no meu peito tristemente
Um coração qu'ia ficar doente,
Esse coração que ia sofrer!

Dona dum olhar profundo, ardente,
Dona de gestos que me dão prazer...
Perto dos meus olhos... Passaste rente!
E eu, como flor triste e dolente,
Fiquei na sombra do entardecer!

E passaste por mim indiferente,
Num dia cinza ao entardecer!
Meu coração sofria indolente,
Porque te vi passar indiferente
E foste embora sem querer saber!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AS FRAQUEZAS DA VIDA

Eu não sei se há algum fundamento Andar com a vida sem sintonia. A esperança levou-a o vento... Pois tudo tem que aca...