Follow by Email

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

SOLIDÃO A DOIS






















Um toque de solidão está chegar,
Severa realidade a depender
Do meu amor e a não me enfeitar
Demais com a sua graça, mas a ver
Que os dois temos coração a doer.

Cada um de nós, sentado no seu banco
É espelho pra si a olhar, sabendo
Que mesmo neste dia quente e brando
E que dum pró outro o amor depende,
Entre gélidos cristais, mas alma ardente.

Dentro e fora de mim tudo é deserto,
Como se as ervas fossem arrancadas,
Ou se esgotassem as dores, decerto,
Nesta grande solidão, são contempladas
Num sonho interior, mas mui incerto.

Se queres sentir felicidade, amor,
Entrega tua alma com satisfação.
No mundo e no nosso jardim há flor
E pássaros que vibram com a canção:
"Deixa teu corpo estender-se ao amor".

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário