Follow by Email

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

CHOVE DENTRO DE MIM


















Vai chover e eu vou ficar mais triste.
Chuva é distância e esconde!
Faz doer por não saber se existe
O verde, a lua, as flores... onde?

Às vezes é bem pior ter sorrido
Que ter chorado ou abrir a boca:
Sombras qu'os olhos já terão perdido...
Sinto distância... A vida é oca!

E junto dela estou transbordando
A minha chuva. Por onde eu ando!
Restos de sons, fases do arrebol...

Vejo, entre a névoa e o vento,
Abrir-se em ouro o passatempo
Das horas que demora o teu sol!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário