terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

VIDA FUGIDIA



















Vivi as ilusões da mocidade,
Constelações de grande refulgência,
Iludi-me na branda claridade...
O céu apelava à consciência.

E foi-se o tempo sem piedade,
Dia após dia - brutal violência -
Com desenganos da senilidade...
Fiquei sem luz, sem qualquer influência.

Agora, fiz na vida a ruptura,
Mudei as penas e fugaz ventura
Desses momentos belos e risonhos.

Agora... tenho mais sabedoria,
Vivo bem mais calmo noite e dia:
Ponho nas estrelas e sol meus sonhos.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

NOITES DE LUA

Belas noites brancas de lua cheia, Como gosto de vós, noites formosas! Minh' alma canta como a sereia, Que s...